Formigas Cortadeiras, como combater em lavouras de Mogno Africano

As formigas cortadeiras cortam a vegetação e transportam para dentro dos formigueiros para a produção do fungo que servem de alimento para as mesmas. Elas atacam quase todas as espécies de plantas cultivadas e estão distribuídas em todo o território brasileiro.

                As Quenquéns do gênero Acromyrmex spp. possui formigueiros pequenos não muito profundos e geralmente são constituídos de poucas câmaras sendo de difícil localização, pois algumas espécies fazem os ninhos e cobre com fragmentos e outros resíduos vegetais. As formigas desse gênero são de tamanhos menores quando comparados ao gênero Atta, diferindo ainda pela presença de quatro pares de espinhos na parte superior do corpo (tórax).

                As Saúvas do gênero Atta spp. difere das quenquéns por serem maiores e terem três pares de espinhos na parte superior do corpo (tórax). Os formigueiros são profundos constituídos por muitas câmaras interligadas entre si chamadas de galeria, sendo mais fácil sua localização devido ao volume de terra solta aparente.

                As formigas cortadeiras tem a capacidade de desfolhar uma árvore inteira em uma única noite, dependendo do tamanho do formigueiro pode desfolhar um hectare inteiro de floresta plantada causando a morte das plantas e um enorme prejuízo. Em plantios florestais, as maiores perdas ocorrem nos dois primeiros anos de implantação.

                As formas mais utilizadas para combater as formigas cortadeiras se da através de uma inspeção e monitoramento sempre que possível nas áreas, antes da implantação e durante todo ciclo da floresta, ou seja, até o corte raso da mesma. A inspeção é realizada em toda a área a ser implantado o projeto e nas áreas ao redor em uma faixa de no mínimo 50 metros. 

                Para definir a metodologia e o produto que será utilizado, o produtor deverá analisar dentre os métodos qual melhor atenderá sua necessidade.

                O controle pode ser sistemático, com a aplicação de iscas granuladas em tempo seco em toda área de interesse e ao seu redor, dado que, essa atividade deve ser realizada 15 dias antes do preparo do solo, com a finalidade de localizar os formigueiros. Há também o controle localizado, no qual é conseguido por meio de iscas granuladas, pó seco ou produtos termonebulizáveis, aplicados diretamente nos formigueiros.

                Esses produtos estão registrados no Ministério da Agricultura e para cada produto existe uma classificação toxicologia. Conforme o Ministério da Agricultura exemplifica, o aplicador deve usar equipamentos de proteção individual (EPI) como por exemplo, óculos protetores, máscaras, macacão, luvas e botas.

Sobre o autor | Website

Engenheiro Florestal graduado pela Universidade Federal do Tocantins, com ênfase em silvicultura e nutrição de plantas.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!