Aprenda a identificar se a área e o solo estão propícios para cultivar mogno

Nos últimos tempos, um dos tipos de madeiras mais requisitados é o mogno africano. Utilizado para a confecção de móveis, instrumentos musicais como o ukulele, entre outros, essa madeira é exótica e difícil de se encontrar. 

Isso porque seu plantio exige diversos tipos de cuidados, além de um terreno próprio e que atenda a algumas especificações. Isso, no entanto, não impede muitas pessoas de investirem nesse plantio. No Brasil, por exemplo, vem aumentando o cultivo de mogno africano.

Dito isso, a seguir, explicaremos como identificar se a área e o solo do seu terreno são propícios para o cultivo do mogno. Além disso, mostraremos algumas especificações que o local deve atender para o plantio da árvore.

Saiba como cultivar mogno e quais os sinais de que sua área é ideal para cultivar mogno africano. | Fotos: Grupo Selva Florestal.

O que é mogno africano?

Antes de compreender, contudo, quais os sinais de uma área propícia para o cultivo de mogno, é preciso saber o que é mogno africano. Isso porque poucos conhecem esse tipo de madeira e a árvore que a origina. 

Ainda assim, mesmo que poucos tenham ouvido esse nome, com certeza já tiveram contato com móveis, residências, instrumentos musicais e outros tipos de objetos feitos com a madeira.

O Mogno Africano, também conhecido como khaya grandifoliola, khaya senegalensis, khaya ivorensis é uma espécie de madeira nobre, retirada de uma árvore homônima que pode ser encontrada em diversos países em todo o mundo. De origem africana, mais especificamente da região ocidental do continente, essa madeira chegou ao Brasil na década de 70, mas o cultivo só cresceu nos últimos anos, devido ao aumento de rentabilidade e lucratividade da espécie no mundo.

Atualmente, um dos estados que mais produz mogno é Minas Gerais. É possível, entretanto, encontrar grandes plantios em outras regiões do País, uma vez que o clima brasileiro é ideal para a planta que se adapta muito bem em áreas mais quentes e mais secas.

O mogno africano retirado do Brasil é exportado, em sua maioria, uma vez que a demanda do mercado internacional é grande. Isso porque não existem muitos países que plantem a espécie, tornando o País um dos destaques de exportação. A maior parte do mogno africano, contudo, é retirada em países africanos, como Costa do Marfim e Camarões, grandes cultivadores da espécie.

Para plantar esse tipo de árvore é preciso seguir algumas diretrizes que estão relacionadas ao clima ideal, ao tipo de solo, entre outros detalhes. É preciso se atentar também ao tamanho de seu terreno, uma vez que as árvores podem atingir grandes alturas e possuem raízes bem profundas.

Sinais de uma área propícia para cultivar mogno

O mogno africano é uma madeira exótica que se desenvolve perfeitamente em regiões quentes. É preciso dizer, contudo, que existem outras condições que podem influenciar no plantio, que podem ser o diferencial para árvores exuberantes e uma madeira de qualidade. Os 8 fatores que devem ser considerados são:

  • Fertilidade do solo;
  • Profundidade;
  • Água;
  • Oxigênio;
  • Erodibilidade;
  • Clima;
  • Declive;
  • Mecanização.

O mogno africano é um tipo de árvore encontrado em regiões de savana, ou seja, regiões quentes e áridas. Sendo assim, essa é uma planta que se adapta fácil a regiões em que há períodos mais longos de estiagem – falta de chuvas (khaya senegalensis). 

Além disso, por ter raízes mais compridas, a árvore consegue alcançar regiões do solo que podem possuir algum tipo de água ou umidade, garantindo sua sobrevivência. É preciso se atentar, contudo, à aridez do solo, isso porque áreas muito secas podem ser prejudiciais para a planta, que não irá obter água do solo ou de chuvas. Além disso, períodos muito longos de seca também impedem seu desenvolvimento.

Com isso, é possível dizer que um dos pontos a se observar em seu terreno para o plantio de mogno é se o solo é muito árido e se os períodos de chuva são escassos. Além disso, é preciso que o local também não seja muito úmido ou muito frio, uma vez que o mogno não é uma planta resistente a geadas e chuvas muito fortes. Por isso, regiões muito frias ou com o nível pluvial acima de 1500 mm por ano não são recomendadas.

Em regiões com o nível pluvial entre 1000 e 1500 mm por ano (khaya grandifoliola), o terreno deve ter um determinado nível de drenagem de água. Além disso, o solo deve ter mais de 2 metros de profundidade. O melhor nível pluvial para o mogno é o de 800 mm por ano se tratando do khaya senegalensis.

Outro detalhe que deve ser observado em sua área de plantio é a altitude. Como foi dito, o mogno africano não é uma planta que se adapta ao frio, isso porque seu metabolismo diminui e ela não cresce e morre em baixas temperaturas. Quanto mais alto o seu terreno, mais frio ele será. O ideal são superfícies planas, como as planícies, em locais quentes e mais secos. O ideal são regiões com uma altitude entre 500 e 1000 metros.

Além do clima, que deve ser quente e mais seco, da altitude, que deve ser baixa, e da profundidade do solo, a fertilidade também deve ser levada em consideração. O solo deve ser fértil, poroso e denso. 

Além disso, a fertilidade química deve ser analisada, garantindo que a terra tenha os nutrientes necessários para o mogno africano. Ela deve conter cálcio, magnésio, potássio, sódio, fósforo, enxofre, boro, ferro, manganês, zinco e cobre. Todos devem estar em níveis controlados, ou seja, nem muito e nem pouco. Para isso, um profissional deve ser contratado.

Com isso, é possível afirmar que os sinais de uma área ideal para o plantio de mogno africano são: clima quente e com níveis pluviais mais baixos (entre 800 mm e 1500 mm por ano) e solo denso e mais poroso, que absorve água e que seja fértil. Além disso, o terreno deve estar localizado em uma planície, o que facilita o cultivo e o crescimento das árvores de mogno.

Quanto tempo leva para o mogno africano crescer?

Nas condições ideais, que foram citadas anteriormente, o mogno africano leva cerca de 15 a 20 anos para crescer. Mais especificamente, é nesse período que ocorre a maturação da árvore, ou seja, é nesse tempo que o meio da planta, também conhecida como cerne, se forma. Com isso, é possível dizer que até o mogno crescer e amadurecer levam 15 anos, mas ele deve ser colhido com 18 anos ou mais. Isso porque o meio da árvore já estará firme e ideal para o corte.

Devido ao seu curto tempo de maturação, a maioria das árvores de madeira nobre levam mais de 20 anos para se formar, o mogno africano é uma das madeiras nobres mais procuradas em todo o mundo. Tanto para os produtores de árvores, que visam lucrar com sua produção, como para os consumidores, pois é a garantia de um material bom e caro para seus produtos, mas que demanda menos tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.