Conheça as vantagens de irrigar mogno africano

O plantio de mogno africano irrigado tem recebido cada vez mais reconhecimento e espaço no mercado agrícola, atraindo, portanto, cada vez mais investidores que objetivam diversificar a renda através da produção de madeira nobre. Essa popularidade se dá devido ao fato de que a árvore mogno africano apresenta uma maturidade precoce e, consequentemente, um retorno financeiro mais rápido para os investidores do que as demais espécies arbóreas.

Pelo fato do clima do Brasil não apresentar muitas disparidades em diferentes estados, o mogno africano se adaptou sem maiores dificuldades por quase todo o país, sendo a única exceção áreas muito úmidas ou onde ocorrem geadas. Existem ainda outros cuidados a serem tomados em todo o processo de plantio e manutenção do mogno, sendo um deles a irrigação, visto que regiões muito úmidas podem ocasionar em ataques de fungos, os quais podem levar danos à cultura e prejuízos ao agricultor.

Por essa razão, é necessário se ater a algumas recomendações quando o assunto abordado é a irrigação, além de procurar um especialista para ajudá-lo na escolha da prática mais conveniente para a sua floresta. Continue a leitura para aprender mais sobre!

A irrigação supre a demanda hídrica que a árvore precisa para que a falta de hidratação não prejudique o seu metabolismo e, portanto, seu crescimento. | Foto: Grupo Selva Florestal

Quais as vantagens da irrigação do mogno?

De acordo com um estudo de 2012 realizado pela UFG em Bonfinópolis (GO), feito a partir de mudas novas de mogno e irrigação localizada por gotejamento e microaspersão, a altura das plantas irrigadas pode crescer até 25% mais do que as plantas não irrigadas. Já o diâmetro do mogno irrigado pode ser até 24% maior nos primeiros 20 meses de idade do que o diâmetro do mogno não irrigado.

Segundo a pesquisa, a irrigação para o crescimento das mudas de mogno africano nos primeiros dois anos de idade é muito importante. Resumidamente, as plantas que não são irrigadas sentem mais o transplantio e demoram mais para começar a se desenvolver.

Assim, é possível concluir que a irrigação localizada é um fator importante para um bom desenvolvimento e estabelecimento do mogno africano, especialmente nos primeiros dois anos de plantio, em vários lugares do Brasil, como o cerrado, por exemplo, que possui invernos muito secos. 

Quais os tipos de irrigação?

A irrigação é fundamental para um melhor crescimento da árvore. | Foto: Grupo Selva Florestal

Para que as florestas de mogno africano forneçam madeira de qualidade e quantidade alinhadas com a expectativa de mercado, é necessário prestar atenção nos métodos de irrigação empregados durante o plantio.

A irrigação é uma técnica muito empregada em atividades agrícolas e silviculturais que consiste em abastecer a demanda hídrica de plantas através da rega artificial. Há várias maneiras e tipos de irrigação, entretanto, neste artigo iremos exibir os métodos de irrigação mais populares em plantios de mogno africano.

Os tipos de irrigação apresentados devem ser anteriormente avaliados por meio de um estudo apurado do local como o tipo de solo, topografia e clima que irão revelar o método mais assertivo do sistema de irrigação, a quantidade de água e a frequência da prática visto que o mogno africano não se adapta com sucesso em regiões muito úmidas. Por essa razão, antes mesmo de adotar um dos sistemas de irrigação apresentados neste artigo procure um especialista.

O sistema de irrigação mais popular em florestas de mogno africano é a irrigação localizada, que consiste em aplicar de forma direta a água na área em que a muda foi plantada, irrigando assim o sistema radicular de forma pouca intensa. Para essa técnica, será preciso um caminhão tanque/pipa com mangueiras acopladas ao trator que devem ser manuseadas para que a muda seja irrigada de maneira direta.

Já o sistema de irrigação por superfície, conhecido também como gotejamento, é feito através de tubulações ou canais que transportam a água até as plantas. Nessas tubulações existem alguns pontos que são responsáveis por dispersar a água na superfície do solo umedecendo assim a área onde a muda foi plantada. Esse sistema não é muito comum em culturas de mogno africano, sendo somente realizado em casos específicos.

Em último lugar, o sistema de irrigação por aspersão no geral consiste na aplicação de água simulando uma precipitação, ou seja, chuva. São postos dutos verticais com um rebatedor pequeno em alguns pontos do plantio, para que a água umidifique não apenas o solo como também toda a planta.

Como e quando fazer o plantio de mogno africano

São inúmeros os fatores que irão indicar a necessidade ou não de um sistema de irrigação em uma floresta de mogno. | Foto: Grupo Selva Florestal

Como afirmado anteriormente, o mogno africano não possui resistência a climas onde há ocorrências de geadas e nem em regiões muito úmidas, assim, solos encharcados ou situados perto de rios não são recomendados para o plantio de mogno africano. Por essa razão, é indicado que o plantio seja realizado em ambientes onde o índice pluviométrico seja maior que 800 milímetros ao ano (mm/ano) e a irrigação aconteça em determinados momentos.

Por exemplo, caso seja inviável por algum motivo realizar o plantio no momento de chegada das mudas, é recomendado que o agricultor aloque as mudas para locais onde há pleno sol e monte o sistema de irrigação por aspersão para conservar a hidratação das mudas até que o plantio seja realizado.

A frequência e o tempo de irrigação vão depender do clima. É importante ressaltar que o plantio deve ser realizado em até 3 meses depois das chegadas das mudas para que não haja um comprometimento do pegamento das plantas.

O segundo momento de se irrigar seria logo depois da plantação, independente do sistema utilizado para o plantio, seja ele mecânico ou manual, a irrigação tem uma função primordial no enraizamento da muda, por esse motivo recebe o nome de “irrigação de pegamento”. Nesta situação, o agricultor pode usar um caminhão tanque com mangueiras acopladas ao trator e irrigar de forma direta a muda e áreas próximas.

Já o terceiro momento seria quando as mudas plantadas já possuem um aspecto do ponto de murcha, algo que normalmente acontece em épocas de estiagem que geralmente duram por mais de 3 meses, ou seja, quando há pouca chuva durante um período superior a 90 dias. Essa irrigação é denominada “irrigação de salvamento”.

Se por algum acaso as plantas ainda apresentarem aspecto de murcha, será necessário que o agricultor realize a irrigação até que a floresta atinja a idade de dois anos.

Vale lembrar que os métodos de irrigação expostos previamente são para locais onde a precipitação de chuvas é superior a 800 mm/ano. Porém, em áreas em que a incidência é menor, é indicado irrigar com mais frequência ou escolher o plantio da espécie arbórea Khaya Senegalensis que possui maior inclinação para áreas mais secas, contudo não dispensa o uso de irrigação.

Em locais onde houve planejamento, cumprimento do cronograma de plantio e realização de irrigação, a irrigação não é precisa até o corte raso da floresta de mogno.

Portanto, a irrigação é uma prática necessária somente em situações específicas. A escolha da espécie de mogno africano e o estudo minucioso da área onde será realizado o plantio das mudas são primordiais para definir se o emprego da técnica será preciso ou não. Conheça a Selva Florestal para começar a cultivar Mogno Africano o quanto antes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.