Entenda de forma definitiva como funciona o desbaste de florestas de mogno

Saiba o que é desbaste, por que realizar o desbaste , os materiais necessários, e também o passo a passo de como realizar essa técnica. Por fim, entenda o que é árvore dominante, codominante, intermediária e suprimidas, assim como quais são os tipos de desbaste. Em última instância compreenda o porquê as árvores de mogno africano devem se submeter a prática do desbaste.

Árvore de mogno: entenda o que é desbaste. | Foto: Grupo Selva Florestal

O que é desbaste

Segundo o dicionário, desbaste é o ato ou efeito de desbastar, de cortar e de tornar menos espesso. 

Em outras palavras, o desbaste consiste na remoção de algumas árvores para garantir a ampliação da produção de madeira das árvores remanescentes que possuem maior efetividade no processo de fotossíntese – processo realizado pelas plantas para a produção de energia necessária para a sua sobrevivência – e respiração do que as demais.  A retirada dessas árvores “reduz o número de classes, começando nas mais baixas, em benefício das árvores que ficam retidas e compõem as classes maiores” (Fishwick, 1976).

Além disso, o desbaste também pode ser utilizado na remoção de indivíduos florestais que não estão se desenvolvendo da forma almejada. O objetivo final por trás da técnica do desbaste é a produção de toras para a serraria e de postes de grandes dimensões. 

Se o objetivo for a produção de maior volume de madeira possível de pequenos diâmetros, em pouco período de tempo até o corte final, os desbastes não são necessários. Mas, se o seu plantio for de árvores de mogno africano, os desbastes são precisos. Continue lendo para entender o porquê. 

Por que realizar o desbaste

O desbaste é fundamental para uma melhor produtividade de madeira na sua plantação de florestas comerciais de árvores de grande porte, como o mogno africano. Isso porque ao se remover determinadas árvores, há a disponibilidade de mais água, nutrientes, e luz que irá acelerar o crescimento em diâmetro das árvores que permaneceram. Dessa forma, a madeira que será futuramente cortada terá uma melhor qualidade de um modo rentável. 

Proprietários de plantios comerciais tem o hábito de adotar espaçamentos ideais que colaboram para o arranque das plantas em altura, entretanto, após alcançarem determinada idade essas árvores passam a competir entre si, o que pode  “adoecer, perder volume e prejudicar a qualidade de seus produtos devido à progressiva saturação, escassez de umidade, luz, temperatura, nutrientes, originando diferentes classes de diâmetro” (GARCIA, 2006).

Por essa razão, em plantios florestais comerciais que adotaram espaçamentos ideais, é necessário realizar os desbastes periodicamente para se obter árvores com diâmetros mais elevados.

Materiais necessários

O desbaste de árvores é normalmente uma atividade realizada por engenheiros florestais. A atividade necessita de muita atenção e cuidado, visto que existem diversos riscos simultâneos, exigindo portanto, cada vez mais estudos, paciência e precisão. 

Dessa forma, para garantir a segurança daquele que irá fazer o desbaste são necessários: óculos; capacetes com fixação no queixo; cintos de segurança; luvas de couro; sapatos de borracha com solado rígido e reforçado, e protetores para os ouvidos.

Já alguns materiais necessários para realizar o desbaste de árvores são: serrotes; afiador de facas, arco de serras, foices, facões; machadinhas; machados; tesouras para poda; motosserra; barra extratora de pés; barra de impacto; cunhas de queda e por fim, um guincho. 

O que são árvores dominantes, codominantes, intermediárias e suprimidas?

As árvores dominantes são aquelas bem desenvolvidas com maiores dimensões. Elas estão no topo da competição natural e suas copas alcançam os níveis mais elevados, recebendo luz direta do sol na parte superior e em algumas laterais. 

As árvores codominantes, por sua vez, são as árvores que possuem copas de tamanho médio em relação às demais. Elas também recebem luz em sua região superior, mas lateralmente ela é mais escassa. 

Entre a posição das árvores dominantes e codominantes estão as intermediárias que recebem luz direta apenas na extremidade da copa e são menores que a média das demais. 

Em último lugar, estão as árvores suprimidas que são aquelas com com copas menores que a média e que praticamente não recebem luz. Isso sem levar em consideração a existência de árvores mortas ou que estão prestes a morrer. 

Tipos de desbastes

Desbaste por baixo

As árvores selecionadas para serem submetidas ao processo de desbaste são as de menor altura. Esse desbaste é feito no intuito de manter apenas as árvores dominantes, as quais apresentam um maior crescimento. 

Desbaste pelo alto

Árvores selecionadas para a remoção são as de maior altura, mas não apresentam altos níveis de dossel e crescimento em diâmetro. Desse modo, são mantidas as árvores dominantes e/ou codominantes de diâmetros e dossel mais elevado para se manter até a conclusão da rotação. Dessa maneira, as árvores remanescentes passam a receber mais luz, além de mais nutrientes, o que resulta na ampliação do valor comercial das árvores. 

Desbaste seletivo

São removidas árvores finas, defeituosas, doentes e mortas selecionadas a partir de critérios visuais e individuais dos indivíduos.

Desbaste sistemático

Amplamente utilizado em florestas com plantio uniforme, assim, a escolha é feita com base na posição dos indivíduos do talhão a fim de facilitar o processo de corte e transporte. 

Como realizar o desbaste

Neste artigo vamos mostrar passo a passo como fazer o desbaste de árvores de mogno africano. 

Utilize uma tinta vermelha para realizar a marcação das árvores que serão desbastadas com espaçamento de 3X2 metros e 3X3 metros, combinando dois tipos de desbaste: o seletivo e o sistemático.

Essa atividade é realizada por um engenheiro florestal que capacita e posteriormente monitora a equipe de manejo, conduzindo o trabalho para que as árvores de padrão inferior sejam cortadas no desbaste. 

Depois do corte, a equipe de manejo seleciona e separa o fuste comercial para a serraria do restante da árvore, que é formado por galhos e fuste mais fino e tortuoso.

O fuste comercial passa pelo processo de secagem ao sol antes de ser processado e o restante é partido em toretes de um metro e empilhado no carreador da fazenda para ser comercializado como lenha.

Enfim, agora que você já conhece algumas curiosidades sobre as árvores de mogno e como realizar o desbaste, conheça o Grupo Selva Florestal e fique por dentro de tudo sobre a plantação e o investimento em mogno. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.