Saiba o que é e como funciona um sistema agroflorestal

O Brasil tem em seu caminho o grande obstáculo de restaurar florestas e paisagens, com o objetivo de recuperar milhões de áreas degradadas e regenerar florestas. Esse processo de restauração é essencial para cumprir com os compromissos climáticos e oferecer suporte para o país fazer a transição para uma economia de baixo carbono. Para isso, é preciso estabelecer um sistema agroflorestal, mas vamos falar mais sobre isso ao longo do texto.

Por isso, para que essa restauração florestal ganhe escala, é fundamental que ela gere oportunidades no campo para agricultores e agricultoras familiares, comunidades, empresas e produtores e produtoras rurais. Nesse sentido, existem diversas maneiras de gerar melhorias ambientais e, ao mesmo tempo, desenvolver oportunidades de trabalho e renda no campo. Assim, entenda melhor como funciona o sistema agroflorestal.

Saiba quais são as vantagens do sistema agroflorestal de cultivo. | Foto: Grupo Selva Florestal

O que é o sistema de agroflorestas?

O sistema agroflorestal pode ser definido como o plantio de espécies florestais e agrícolas em um mesmo local. Esse processo torna possível a produção de frutos, grãos e fibras, sem que a natureza seja prejudicada, uma vez que as espécies agrícolas se misturam, ou seja, gramíneas, frutíferas e florestais, no mesmo espaço.

Por outro lado, diferentemente da monocultura, em que se planta apenas uma categoria de alimento, o sistema agroflorestal possui composições variadas, com cerca de dez a vinte espécies, gerando diversas colheitas ao longo dos anos. Assim, a técnica do sistema agroflorestal parece ser nova, mas já era utilizada pelos indígenas séculos atrás.

No entanto, é importante explicar que essa categoria de plantio não reconstrói a mata original, portanto, as plantas são escolhidas e serão cultivadas conforme o interesse econômico. Apesar disso, muitos locais desmatados têm passado por experiências positivas com este processo de recuperação.

O sistema agroflorestal possui vantagens econômicas, porque permite que o produtor diversifique seus produtos e benefícios sociais, ajudando a fixar os colaboradores no campo, com demanda por mão de obra durante todo o ano.

Além disso, existem diversos benefícios para o meio ambiente, por exemplo, aumento da biodiversidade, conservação das nascentes e diminuição das erosões. Outro ponto é o aumento da biomassa e redução da acidez no solo, contribuindo para que a agrofloresta tenha um grande potencial de conservar a fertilidade e produtividade do solo.

Com diversos benefícios, os sistemas agroflorestais são considerados uma boa opção para a utilização racional dos recursos naturais renováveis, diminuindo os impactos negativos da agricultura sobre o meio ambiente, ao mesmo tempo em que desenvolvem uma solução com resultados econômicos positivos.

Para que serve o sistema agroflorestal?

Um sistema agrofloresta é uma maneira de uso e ocupação do solo, em que árvores são plantadas ou organizadas em associação com culturas agrícolas ou forrageiras. Em síntese, é um processo em que o produtor planta e cultiva árvores e produtos agrícolas em um mesmo local, ajudando na melhora de aspectos ambientais e na produção de alimentos e madeira.

Para ser uma estratégia agroflorestal efetiva, é essencial que esse processo seja desenhado conforme uma lógica de produção, levando em consideração clima, solo, mercado, arranjos, composição de espécies, operação, objetivo com a produção, custos e a legislação. A finalidade é garantir que as espécies trabalhem juntas, ou seja, algumas espécies agrícolas já consolidadas, por exemplo, cacau, café ou erva-mate, crescem bem na sombra de árvores. Por isso, o produtor pode combinar esses plantios com árvores como seringueiras, araucárias, açaizeiros, entre outras.

As vantagens econômicas para os produtores são múltiplas. Em primeiro lugar, eles garantem renda ao longo do tempo, porque podem comercializar as categorias agrícolas de crescimento rápido, depois espécies de médio prazo (frutíferas) e longo prazo (madeireiras), espécies de alto valor agregado, etc. As árvores plantadas no sistema também podem oferecer uma certa  “aposentadoria” para agricultores familiares – elas podem demorar décadas para se desenvolver e serem comercializadas, mas quando chega a hora da colheita, proporcionam um bom retorno do investimento inicial.

Pesquisas recentes mostram também que os Sistemas Agroflorestais podem desempenhar um importante papel na adaptação de condições climáticas extremas. As alterações nos padrões do clima são uma ameaça para as produções agrícolas em todo o mundo. Estimativas indicam que essas mudanças podem diminuir a produtividade global da agricultura em 17%. O IPCC identificou o plantio em sistemas agroflorestais como uma das estratégias fundamentais para a adaptação climática, contribuindo para que as propriedades rurais sejam mais resilientes e resistentes a secas, pragas e inundações.

Quais são os sistemas agroflorestais?

Os tipos de sistemas agroflorestais são determinados conforme seus aspectos funcionais e estruturais:

  • Agrossilviculturais – Combinação de espécies arbustivas, arbóreas ou palmeiras com categorias agrícolas;
  • Silvipastoris – Quando espécies arbustivas, arbóreas ou palmeiras são combinadas com pastagens (animais);
  • Agrossilvipastoris –  Quando espécies arbóreas são combinadas com cultivos animais e agrícolas.

Entre os serviços e produtos ofertados pelo sistema agroflorestal estão:

  • Desenvolvimento da produção agropecuária em sistemas silvipastoris, observando que existem melhorias das condições nutricionais dos pastos e um melhor conforto térmico por sombreamento para os animais;
  • Sugestão de modelos de produção associados às práticas de agricultura orgânica;
  • Aumento da segurança alimentar de pequenos produtores agrícolas;
  • Melhor organização do regime hídrico, que oferece um restabelecimento dos fluxos dos serviços ambientais;
  • Desenvolvimento na geração de renda para o agricultor devido à diversidade de produtos e pela diminuição dos custos de produção.

Portanto, lembre-se que o sistema agrofloresta é uma maneira de uso e ocupação do solo, em que árvores são plantadas ou organizadas em associação com culturas agrícolas ou forrageiras. Ou seja, é um processo em que o produtor planta e cultiva árvores e produtos agrícolas em um mesmo local, ajudando na melhora de aspectos ambientais e na produção de alimentos e madeira.

Ademais, para ser uma estratégia agroflorestal efetiva, é essencial que esse processo seja desenhado conforme uma lógica de produção, levando em consideração clima, solo, mercado, arranjos, composição de espécies, operação, objetivo com a produção, custos e a legislação. O objetivo dessa prática é garantir que as espécies trabalhem juntas, ou seja, algumas espécies agrícolas já consolidadas, por exemplo, cacau, café ou erva-mate, crescem bem na sombra de árvores. Portanto, o produtor pode combinar esses plantios com árvores como seringueiras, araucárias, açaizeiros, entre outras.

Agora que você já sabe quais são as vantagens do sistema agroflorestal de cultivo e como funciona todo o processo, é importante desenvolver maiores conhecimentos e técnicas que possam ajudar na elaboração de estratégias para tornar os processos mais efetivos, gerando cada vez mais frutos, alimentos e produtos agrícolas. Além disso, esse sistema agroflorestal pode contribuir para maior produtividade dos colaboradores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.