13 motivos para começar já um investimento em Mogno Africano

O mogno africano é uma ótima opção de investimento. Essa é uma madeira que tem conquistado espaço na produção e no mercado de madeira nobre e, por isso, tem atraído cada vez mais os olhares de quem está pensando em investir, tendo um bom retorno financeiro, entre outras vantagens. 

Entenda, então, o porquê da madeira de mogno ter se tornado uma das melhores alternativas para quem busca um bom investimento.

Por que você deve começar a investir em Mogno Africano?

1. Espécies exóticas têm legislação menos rígida

A legislação para o plantio do mogno africano é livre de maiores complicações e dores de cabeça. Esse é um motivo excelente para quem deseja investir sem precisar se desgastar com uma extensa papelada e licenças ambientais, que consomem tempo e dinheiro. 

O cultivo de espécies nativas com objetivos comerciais tem normas menos flexíveis para a sua produção e para o seu comércio, sendo regulada pelo IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). Mas esse não é o caso do mogno africano.

O investimento na madeira de mogno não precisa seguir regras ambientais rígidas, pois o mogno africano é uma espécie exótica, e não nativa. Dessa forma, são necessários outros documentos, porém mais simples, para a comercialização legal da sua madeira. Mas é válido destacar que as exigências podem mudar de acordo com cada região de plantio.

O mogno africano é um investimento com alto retorno | Foto Grupo Selva Florestal

2. A madeira é de qualidade

A madeira de mogno africano é uma madeira nobre. Isso significa que ela tem um maior valor comercial e, consequentemente, também acaba sendo um investimento com um retorno maior. As madeiras nobres são mais caras por terem maior qualidade, uma vez que a sua durabilidade é maior em relação às outras madeiras comuns que são também bastante comercializadas, como por exemplo, o pinus e o eucalipto. 

3. O tempo do seu ciclo tem um bom custo-benefício em comparação a outras espécies

O cultivo do mogno africano leva cerca de 20 anos para ser concluído. Parece bastante, não é? Mas na verdade, o ciclo dessa árvore, apesar de levar bons anos para crescer, compensa em comparação ao de outras espécies, seja pelo seu maior valor agregado ou por ter crescimento mais rápido, visto que o seu retorno após o corte é bem elevado. Sendo assim, esse é um investimento rentável e relativamente rápido.

Além disso, se compararmos o mogno africano com o ipê roxo, espécie nativa que também fornece madeira nobre, fica evidente em qual opção você deve apostar na hora de fazer o seu investimento, uma vez que o primeiro tem um ciclo de plantio bem mais curto. O ipê roxo leva vinte e cinco anos para atingir a sua maturação biológica, isto é, momento quando o cerne, que é parte dura da madeira, atinge a sua formação. Enquanto o mogno africano chega nessa essa etapa treze anos mais cedo que o ipê roxo, ou seja, tem a sua maturação biológica já aos seus doze anos.

Nesse período de 20 anos, o mogno africano irá crescer até atingir quinze metros de altura, depois a árvore passa a se desenvolver para os lados. Quando atingir o seu tamanho ideal, o tronco da árvore chega a ter mais ou menos um metro e meio de circunferência.

No entanto, é importante ficar atento ao espaçamento entre as mudas. Uma vez que é esse espaçamento que irá definir, mais adiante, a idade do corte e o volume de madeira de mogno africano por hectare de cultivo.

4. Tem um alto retorno financeiro

Após um ciclo ser finalizado, somente um hectare de mogno africano que é exportado irá gerar no mínimo 500 mil reais de lucro, mas ele pode chegar facilmente a um retorno de cerca de 800 mil reais. As projeções para quem investir nessa madeira nobre são ainda mais otimistas no futuro, tornando o cenário cada vez mais favorável. 

Isso porque a madeira de mogno africano tem um elevado valor agregado e demanda. Além disso, a oferta de madeira nobre deve ter uma queda nos próximos anos, como veremos melhor mais adiante.

Em relação ao investimento necessário, um projeto com um tempo padrão para ser concluído, ou seja, 20 anos, como dito acima, custa mais ou menos um valor de 90 mil reais por hectare. Isso resulta mais ou menos em quatrocentos metros cúbicos de tora de mogno africano por hectare.

Uma floresta de mogno africano pode alcançar de 15% a 25% de TIR (Taxa Interna de Retorno) ao final do seu ciclo. Nesse percentual, já estão descontados os gastos que terá com impostos. 

5. Tem os mais variados usos

Mercado para madeira de mogno é o que não falta, uma vez que o mogno africano é a matéria prima para inúmeras atividades, podendo ter várias finalidades e usos. Dessa forma, investir nessa madeira significa investir em algo que tem uma boa demanda, por conta da sua alta versatilidade, sendo necessária em vários setores. Por conta disso, você dificilmente não conseguirá encontrar compradores para a madeira de mogno africano que produz.

O mogno africano é usado, por exemplo, na marcenaria, para fazer pisos leves, faqueados, em construções sofisticadas, na construção naval, na realização de móveis finos, em diferentes objetos de artesanato, na produção de instrumentos musicais, produtos especiais, entre outros.

6. Preocupação com a natureza

O mercado de madeira tem passado por mudanças que são positivas para o meio ambiente. Prova disso, é o chamado apagão florestal, ou seja, uma diminuição de áreas privadas para produção e extração de madeiras. Isso faz com que seja evitado o avanço do desmatamento em direção à Floresta Amazônica.

No entanto, o apagão florestal causa um aumento da demanda por madeiras nobres serradas, o que torna necessária a criação de outras florestas para que esse consumo seja atendido. Claro, de modo sustentável e equilibrado. Logo, o plantio de mogno africano surge como uma das melhores alternativas, o que torna o investimento ainda melhor. 

De acordo com as informações do Serviço Florestal Brasileiro, equivalentes ao ano de 2019, mais de 10 milhões de metros cúbicos de madeira dura tropical foram extraídos para que fosse suprida a demanda do mercado. Contudo, no futuro, o consumo tende a ser ainda maior, segundo a previsão realizada, exigindo algo em torno de 21 milhões de metros cúbicos desse tipo de madeira até 2030.

Por outro lado, a projeção mostrou que a tendência é a oferta encolher, tendo uma diminuição de produção para 5 milhões de metros cúbicos, ou seja, a metade do que era feito há dois anos, em 2019. Com isso, haverá daqui nove anos um déficit de 16 milhões de metros cúbicos de madeira dura tropical, exatamente o tipo de madeira do mogno africano.

7. No mercado, o preço por metro cúbico de Mogno Africano é bem valorizado

O mogno africano tem um preço super valorizado por metro cúbico no mercado. O valor da madeira de mogno varia de 200 euros até 400 euros para toras com diâmetros inferiores. Mas esse valor pode chegar a ser de 500 euros até 600 euros por metro cúbico nas toras (em pé) com diâmetros superiores.

Ao converter para a moeda nacional, o real, a média do valor lucrado por metro cúbico de mogno africano é de 2500 reais, uma valor alto em comparação com outras espécies de árvores, mostrando a boa valorização que essa madeira tem no mercado.

8. Plantio simples e os cuidados necessários custam pouco

O cultivo do mogno africano é tido como simples. As árvores não precisam de água, por isso, os custos com irrigação não existem, apenas as chuvas do clima tropical já são o suficiente, o que diminui bastante o valor necessário para manter a plantação de mogno africano.

Em relação ao controle de pragas, o custo também é baixo. Não é preciso se preocupar com vários tipos de pragas, a única que representa um problema é a broca. No entanto, as próprias árvores de mogno africano são capazes de se proteger. Elas expelem uma resina para desempenhar essa função de proteção. O único cuidado que é preciso ter são com as formigas. Quanto a esses insetos, é preciso ser feito um controle mais rigoroso.

No entanto, é válido ressaltar que esses valores são uma média. O custo desembolsado por você para o plantio, caso queira investir em uma floresta de mogno africano, irá variar de acordo com as condições em que o solo se encontra, relevo, clima, além de outros aspectos naturais.

9. Tem uma fácil adaptação ao clima e solo do Brasil

A fácil adaptação no Brasil é mais uma vantagem de investir no mogno africano, uma vez que esse é mais um fator que facilita o cultivo da árvore. Isso porque o clima tropical e o solo do nosso país são bem similares aos do continente africano, de onde a espécie é originária. A única exceção são as regiões do Brasil que sofrem com geadas. 

É preciso fazer uma avaliação do local antes de começar o plantio da sua floresta de mogno africano. Tenha em vista que há áreas melhores que outras para o plantio, variando em locais com ótimo aptidão, boa aptidão e baixa aptidão. Além disso, esses fatores naturais terão que ser combinados com outros, os de logística e de mercado, para que no final do ciclo o seu rendimento possa ser o mais elevado o possível.

10. As suas características biológicos são boas para o seu comércio

A madeira do mogno africano já tem um tronco mais ereto, por conta da árvore ter como característica biológica própria o fuste retilíneo. Esse aspecto é um diferencial para a produção de madeira para serraria, pois quanto mais reto maior é a conversão em tora da madeira para a serrada. Por conta disso, muitos consumidores de madeira nobres no mercado preferem comprar a madeira de mogno africano.

11. Tem uma baixa incidência de galhos e ramos

A menor incidência de galhos e ramos significa uma menor incidência de nós. Dessa forma, a madeira de mogno africano acaba sendo mais homogênea do que outras. Essa característica acaba se tornando, então, mais uma vantagem para você na hora de comercializar o produto.

12. A madeira de mogno africano tem prestígio no mercado internacional

Como a madeira de mogno africano é apreciada pelo mercado internacional, há várias possibilidades de negócio quando falamos em exportação. Os maiores compradores são os países desenvolvidos da Europa e os Estados Unidos. 

13. O Mogno Africano é cotado em moedas estáveis (dólar e euro)

O fato das principais nações consumidoras serem as europeias e os Estados Unidos acaba criando uma outra vantagem. Esses países têm moedas mais estáveis, ou seja, que têm pouca variação no seu valor ao longo do tempo. Sendo assim, o mogno africano é cotado em dólar e euro. Consequentemente, você terá maior segurança no seu investimento, que é de longo prazo, levando vinte anos para dar retorno.

A compra do mogno por esses países também torna possível acompanhar as cotações feitas nessas moedas mais estáveis pelo ITTO, que em tradução corresponde à Organização Internacional de Madeira Tropical. Dessa forma, você pode ter um maior controle do seu investimento.

Mais uma vantagem de ser comercializado nessas moedas é que, dessa forma, a tendência do preço da madeira de mogno africano é a inflação, ou seja, aumento de preço, visto que o real é desvalorizado frente a essas moedas.

Conheça o Grupo Selva Florestal e comece o seu investimento

Não tem como não achar o plantio de mogno africano vantajoso do ponto de vista econômico, ambiental e administrativo, não é verdade? Então, se você acha que os vários benefícios realmente compensam o investimento na madeira de mogno africano, comece já a investir! O Grupo Selva Florestal, fundado em 2006, é uma empresa que faz a produção de mudas, recuperação de áreas degradadas, comercialização de sementes e projetos técnicos na área agroflorestal e consultoria para plantio, inclusive de mogno africano. Ninguém melhor do que o Grupo Selva Florestal para orientar e ajudar no seu investimento na madeira de mogno. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *