Conheça quais são as madeiras nobres brasileiras

O Brasil é um país mundialmente conhecido por sua grandiosa flora. Com mais de cinquenta e seis mil espécies nativas de plantas, o território brasileiro serve como base para a flora mais rica do mundo. Logo, é natural que haja muitas madeiras nobres brasileiras

Entre todas essas espécies de plantas, as árvores ocupam lugar de prestígio sendo marca registrada de regiões específicas do país. Assim como o Ipê é típico da região Centro-Oeste e a Araucária é típica da região Sul, existem muitas outras árvores que são reconhecidas por seu grandioso valor de mercado e qualidade na produção de bens de consumo –  as madeiras nobres brasileiras.

Móveis, pisos, esculturas, janelas, canoas, pranchas, decks, pontes, forros, diversos instrumentos musicais, telhado, portas, embarcações, escadas e muito mais. Para todas essas finalidades, as madeiras nobres brasileiras trazem um acabamento especial e entregam um produto com muito mais qualidade e durabilidade.

Nesse sentido, há diferentes tipos de madeiras nobres brasileiras que são mais adequados para a produção de decorações e aqueles que devem ser aplicados na construção civil. Mas, afinal, quais são essas madeiras nobres e qual seu verdadeiro diferencial? Vamos descobrir agora!

As diferenças entre as madeiras nobres brasileiras e as comuns

Conhecer sobre as madeiras nobres brasileiras é uma ótima forma de compreender melhor sobre toda a diversidade presente na flora do país.

Para uma madeira ser considerada uma madeira nobre existem diversos fatores a serem levados em consideração. Algumas dessas características estão ligadas ao processo de produção da madeira. As madeiras nobres brasileiras são árvores nativas e que possuem um crescimento demasiado lento, sendo assim, tem um maior valor agregado pois não são de fácil disponibilidade, ao menos não tanto quanto outras árvores. Os troncos das madeiras nobres brasileiras também possuem pouca diferença entre a parte branca e o centro da madeira.

Ainda mais, diferente das madeiras comuns, que são mais moles e menos resistentes, as madeiras nobres são mais rígidas, fazendo com que sejam mais duráveis e aguentem melhor qualquer tipo de impacto. Tais madeiras são também mais pesadas e precisam de maior cuidado na hora de sua extração.

Os diferentes tipos de madeiras nobres têm, também, cores diferentes, mais profundas e marcantes. Sua superfície também costuma ser diferente das madeiras comuns e possibilitam, assim, um acabamento diferenciado.

Quais são as madeiras nobres do Brasil?

Vamos conhecer agora uma lista de madeiras nobres brasileiras. Confira:

Jatobá

Um exemplo de madeira nobre brasileira é o Jatobá. A árvore que pode alcançar até 40 metros de altura e dois metros de diâmetro é uma das mais procuradas no mercado madeireiro. Trata-se de uma madeira densa e muito durável, ideal para compor a decoração dos interiores.

Ipê

O Ipê, além de ser uma árvore belíssima que encanta os olhares em seu período de floração com suas cores diversas, é também responsável por fornecer uma madeira extremamente densa, perfeita para grandes obras, podendo ser usada como vigas, tábuas e pisos.

Mogno

Já o Mogno é um caso especial, que apresenta inclusive exploração restrita pois já esteve em risco de extinção no passado. Este é um dos fatores que aumenta também o seu preço de mercado, já que pode ser considerado mais raro que as demais madeiras. 

Ainda mais, a madeira do Mogno exibe um brilho avermelhado exuberante quando propriamente polida e é uma das mais procuradas do Brasil. É comum encontrar móveis que dizem ser produzidos com Mogno, mas que, na realidade, apresentam uma grande porcentagem de madeira comum que foi apenas revestida posteriormente com uma fina camada de Mogno.

Cedro

Uma outra opção de madeira nobre brasileira é o Cedro. A árvore, quando extraída, exibe um tom claro que é muito requisitado para a decoração de interiores, já que sua tonalidade passa uma atmosfera mais calma, limpa e serena para os ambientes. O Cedro é, no entanto, uma madeira mais difícil de ser encontrada já que suas árvores tendem a crescer distantes umas das outras. A madeira é mais resistente à umidade, é de fácil manipulação e comumente encontrada em instrumentos musicais.

Jacarandá

O Jacarandá, que teve sua exploração de forma muito abrangente no período colonial do Brasil, é hoje uma das árvores mais difíceis de se encontrar e é considerada rara, sendo assim uma das madeiras mais caras disponíveis no mercado, sendo assim pode ser considerada uma das mais importantes madeiras nobres brasileiras.

Há muitas outras madeiras que são consideradas madeiras nobres por sua alta qualidade e condições de crescimento lento, por exemplo: a Catuaba, a Angelim-Amargoso, a Angelim-Pedra, a Angelim Vermelho, a Cambara, o Cedrinho, a Camaru Ferro, a Garapeira, a Guariuba, a Maracatiara, a Massaranduba, o Piqui, o Roxinho, a Sucupira, o Tauari Branco e o Tauari Vermelho, o Tamarindo.

Qual a madeira mais cara?

Dentre essas madeiras citadas, outro nome pelo qual são conhecidas as madeiras nobres brasileiras, o Jatobá, o Jacarandá e o Ipê são as mais caras devido ao seu resultado de acabamento mais lustroso e bonito. Essas madeiras servem tão bem a indústria de móveis que podem ser encontradas em casas coloniais e arquiteturas mais antigas, elevando, assim, o valor dos imóveis. Essas madeiras, quando aplicadas, criam espaços que, por conta de reações químicas do cerne, não atraem insetos e, portanto, têm maior qualidade e durabilidade.

Qual a melhor madeira?

Será que existe alguma madeira que seja a melhor dentre todas? Essa resposta depende apenas da finalidade do seu projeto. Tratando-se de madeira, cada tipo possui qualidades e aplicações que os favorecem. Por exemplo, as madeiras que apresentam maior resistência e densidade são boas para a aplicação em construções, já aquelas que possuem um acabamento mais lustroso e com cores diferentes, que vão do bege ao amarelo e, também, tons mais terrosos e avermelhados, são ideais para a confecção de móveis e decorações que vão realçar os ambientes e trazer mais beleza para os interiores.

Todas essas diferentes madeiras nobres brasileiras apresentam uma diversidade de aplicações únicas que fazem delas muito especiais e altamente requisitadas no mercado madeireiro. Por isso, preservar a biodiversidade e tomar cuidado com uma exploração sustentável de madeira é essencial para garantir que estas espécies únicas não sejam extintas e muitas gerações por vir possam apreciar as diferentes belezas de cada tipo de madeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *