Curiosidades pouco conhecidas sobre a madeira mogno

A comercialização da madeira mogno tem crescido cada vez mais nos últimos anos, sendo umas das maneiras nobres com maior qualidade. Isso porque, o seu plantio tem muitas vantagens. 

A plantação de mogno consiste no cultivo e exploração da árvore de mogno africano, que uma das madeiras nobres usadas na atualidade.

Por isso, confira abaixo algumas curiosidades e características principais que você precisa saber agora sobre a madeira mogno!

A madeira mogno é uma espécie exótica e um investimento lucrativo. | Foto: Grupo Selva Florestal

Curiosidades sobre a madeira mogno

É o melhor investimento entre as madeiras nobres

Há vários motivos que tornam o mogno Africano um excelente investimento e a melhor opção de cultivo entre as madeiras nobres, apesar de ter um valor de comercialização semelhante. Um deles é a sua cotação que passa segurança ao mercado, já que não tem muitas baixas, por ser bem resistente a pragas, e o seu valor aumenta com o passar dos anos. 

Outro ponto positivo é que o seu investimento acaba ficando pequeno quando é diluído ao longo dos anos e comparado com todo o retorno.

Madeira mogno brasileiro não pode ser comercializada

A madeira mogno é um ótimo investimento, mas isso vale para a árvore de mogno africano, já que a comercialização do mogno brasileiro tem certas restrições. Isso porque, essa é uma árvore nativa da Amazônia com alta estabilidade, durabilidade, qualidade e valor, por isso, já foi muito explorada e cobiçada, estando hoje em risco de extinção.

A proibição do IBAMA de comercialização da madeira mogno brasileiro está vigente desde de 2001. A alternativa encontrada, então, foi o cultivo da árvore de mogno africano, que tem características parecidas.

Primeiro plantio de mogno africano foi no Pará

O primeiro plantio do Mogno Africano no Brasil ocorreu no Pará. No estado é onde estão as árvores mais antigas dessa espécie no país, que tem mais de 40 anos. A origem foi na África Ocidental, em países como Costa do Marfim, Togo, Benin, Gana, Nigéria e Camarões.

A árvore de mogno começou a ser cultivada aqui quando o ministro da agricultura da Costa do Marfim esteve na sede da Embrapa Amazônia Oriental, que fica em Belém,  e deu para o pesquisador Ítalo Cláudio Falesi suas sementes.

É usada para fazer instrumentos

As madeiras nobres de mogno são utilizadas para fazer instrumentos musicais, principalmente guitarras e violões, por conta do seu timbre característico e a sua ressonância sonora que tende ao médio-grave.

O ukulele, por exemplo, até o século XIX era feito apenas com as madeiras nobres de mogno. Desde de 1950, o instrumento também passou a ser produzido com materiais  de plástico. Até agora, os ukuleles mais caros são feitos com madeira mogno e outras madeiras maciças. Já os mais em contas levam madeiras compensadas e/ou laminadas.

Tem grande potencial de comercialização

A madeira do mogno, além de usada na produção de instrumentos, também pode ser utilizada para fazer móveis de luxo, acabamento para área interna, objetos de adorno e painéis. É empregado ainda na indústria naval e construção civil.

Ciclo de crescimento curto

Outro aspecto que torna melhor investir em árvore mogno africano do que em outras madeiras nobres é a sua taxa de crescimento elevada. Com isso, o seu investimento tem um retorno mais rápido.

No geral, espécies de madeiras nobres têm um tempo de corte de 25 anos. Enquanto, o mogno africano tem um ciclo de crescimento em média de 18 anos. O corte de rolamento com aproveitamento comercial pode ser feito aos 12 anos. Já para corte raso, o mogno está preparado aos 18 anos. 

Não aguenta climas muito frios

A árvore de mogno não resiste a geadas severas. Por isso, ela não se adapta a climas frios.

Não precisa de licença ambiental para explorar a madeira mogno africano

Para a plantação e exploração de madeira mogno africano não é necessário ter uma licença ambiental. Ainda que seja recomendado procurar por órgão ambientais para informar o seu cultivo, isso gera menos burocracia e preocupações.

Não se desenvolve em solos alagados

Em locais que possam ocorrer alagamentos ou solos já encharcados, a árvore de mogno não consegue se desenvolver. 

Mogno africano é resistente a principal praga brasileira

A madeira do mogno brasileiro tem como principal praga a lagarta Hypsiphyla grandella, o que coloca em risco muitas árvores. Mas o mogno africano é resistente a ela, o que ajudou no seu cultivo no Brasil.

Tem poucos ramos laterais

A árvore de mogno africano apresenta poucos ramos laterais em comparação com árvores de outras madeiras nobres. Esse aspecto é na verdade uma vantagem. Uma vez que, menos galhos significa um maior aproveitamento e qualidade da tora de mogno. Isso porque, quando a madeira mogno for comercializada será necessária uma menor manutenção e menos recursos.

Quais as principais características do mogno?

Agora que já sabe as principais curiosidades sobre madeira mogno, você também precisa entender as suas principais características visuais e também quanto ao seu cultivo. 

1. Características visuais

A árvore de mogno tem seu porte elevado, chegando a ter entre 40m a 50m e DAP (diâmetro na altura do peito) de até 2m. O caule do mogno é retilíneo e as ramificações começam até 30 m de altura.

2. Clima

Como a árvore de mogno na fase jovem tolera sombra é possível plantá-la com espécies já estabelecidas. Para uma adaptação, o indicado é o seu cultivo em áreas com índice pluviométricos entre 1.000 e 2.400 mm por ano. Também não existem climas mais frios com geadas severas, como dito antes. A madeira mogno se adapta em climas tropicais.

3. Solo

Além de não se desenvolver em terras encharcadas, o Mogno Africano precisa de um solo fértil, profundo, de textura média.

4. Espaçamento

No total, 400 árvores de mogno podem ser plantadas por hectare com 5x5m. Em áreas com irrigação mais árvores podem ser cultivadas, 6×4 m, com 417 plantas. Agora você conhece as principais características da madeira mogno!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.