Descubra quais os usos mais comuns do mogno africano

A madeira mogno africano possui suas origens no continente Africano. No Brasil, o mogno africano começou a ser cultivado em 1989, desde então, entrou para a lista de madeiras mais procuradas no país. Sua árvore é de grande porte, podendo crescer até os 50 metros e o DAP (diâmetro na altura do peito) chega em até 200 cm. 

Por oferecer uma madeira com tonalidade forte, um tronco de fácil manuseio, uma alta durabilidade e rentabilidade, a madeira mogno Africano é popularmente utilizada para a fabricação de trabalhos em carpintaria. Os usos mais comuns da madeira incluem desde a construção de móveis, aos instrumentos musicais, como guitarras e pianos, à construção naval e de interiores mais sofisticados. 

Para cada tipo de construção é utilizado uma espécie de mogno africano. ​Essas diferentes espécies de madeira mogno africano não necessitam de alta exigência em fertilidade do solo, mas sendo necessário que estas sejam plantadas em solos profundos para se desenvolverem bem.

Plantação de mogno africano. | Foto: Grupo Selva Florestal.

Neste artigo, você irá descobrir quais são os usos mais comuns das diferentes madeiras de mogno africano, quanto custa um pé da árvore de mogno africano e, também, quantos anos dura o processo desde a plantação de madeira mogno africano até o corte.  

Uso mais comuns das diferentes espécies de Mogno Africano

Para a construção de instrumentos musicais, a espécie de árvore de mogno africano mais utilizada é a Khaya grandifoliola, também conhecida como mogno-da-folha-grande. Essa madeira de mogno africano é ideal para fabricação de objetos mais leves, como o corpo de uma guitarra, de uma kalimba e do piano. 

Rentabilidade mogno africano. Utilização da madeira mogno africano para a fabricação de móveis e carpintaria. | Foto: Grupo Selva Florestal.

Quando o assunto é a construção de navios, barcos e canoas, a espécie de madeira mogno africano utilizada é a Khaya anthotheca, também conhecida como mogno-branco. Resistente ao ataque de cupins, é recomendável a fabricação de móveis de luxo de peso médio. 

Não apenas, essa madeira mogno africano, junto com a Khaya senegalensis, é perfeita para aqueles que querem um piso de madeira lindo e fácil de limpar. Podendo chegar até os 35 metros, a Khaya senegalensis é considerada de porte médio, possui folhas da cor verde e é mais resistente a um solo com deficiência hídrica, característica presente de solos menos férteis. Essas duas árvores são adequadas para a construção de móveis para acabamento interno, brinquedos e carrocerias de veículos.

Muda de Khaya senegalensis. | Foto: Grupo Selva Florestal.

Entretanto, a madeira de mogno africano mais cultivada e procurada por consumidores e pelo mercado internacional é a Khaya ivorensis. Essa madeira possui uma tonalidade avermelhada, qualidades e características mais vantajosas. Possui um crescimento mais rápido relacionado às outras e um tronco mais retilíneo, o que facilita no momento do corte. 

Perfeita na carpintaria de roupeiros, escrivaninhas, mesa de centro e móveis em geral, esse tipo de madeira mogno africano oferece sofisticação, garante um destaque no ambiente e o deixam com um toque único. 

A lista de móveis que se utiliza a madeira mogno africano em sua composição é grande. Também é possível encontrar outros objetos que são feitos a partir dessa madeira, como vasos, cabides, pilão, candeeiros, cabides, lustres.

Área de plantação para a madeira mogno africano. | Foto: Grupo Selva Florestal.

​Tempo de corte da madeira Mogno Africano

Um dos motivos pelo qual a madeira mogno africano é tão popular é o seu tempo médio de crescimento. Se plantada e manejada em boas condições, com um espaçamento de 3 metros x 2 metros, com um total de 1.666 mudas por hectare, cada árvore de mogno africano crescerá com luz e nutrientes adequados, em uma média de apenas 15 anos. 

O primeiro manejo de desbaste, isto é, o primeiro corte da árvore quando seu diâmetro ainda é pequeno, pode ocorrer entre o 3° e 4° ano de crescimento, o segundo desbaste no 8° ano, o penúltimo entre o 12° e 13° ano e o corte final a partir dos 17 anos de crescimento. 

​Rentabilidade do Mogno Africano

Como já citado anteriormente, a madeira mogno africano possui características únicas, como a beleza e o rápido cultivo. Sua rentabilidade está nas inúmeras possibilidades de reutilização da madeira mogno africano: instrumentos musicais, suportes de decoração e outros. 

Ainda, o retorno financeiro do cultivo da madeira mogno africano acontece desde os primeiros desbastes, mas, mais precisamente, a partir do terceiro. Vale ressaltar que o primeiro manejo de desbaste, mesmo praticado em um momento em que a largura da madeira mogno africano ainda não apresenta alto retorno financeiro pela largura do tronco, isso não reduz as possibilidades para a utilização da madeira na prática de marcenaria. 

Cada hectare de mogno africano apresenta, em média, um aumento anual de quase 12 metros cúbicos de madeira em tora. O investimento inicial de cada metro cúbico varia do diâmetro do metro cúbico; toras com diâmetros inferiores custam de 200 a 400 dólares, e toras superiores de 500 a 600 dólares. 

O valor final dessa madeira depende de fatores diversos, como, por exemplo: o formato da madeira, seja ela em pé, em tora, e serrada. A plantação da madeira mogno africano pode servir também como uma futura providência verde ou poupança. É estimado que, ao final de cada ciclo de plantio do mogno africano, o valor bruto de 1 hectare ultrapasse os R$ 500 mil. Detalhe: o investimento inicial para o cultivo de 1 hectare é de apenas R$ 22 mil reais no primeiro ano! Fazendo as contas, dá para imaginar o tamanho do lucro a longo prazo.

Adicionalmente, o cultivo da madeira mogno africano é favorável ao reflorestamento. Por isso, essa espécie se tornou uma ótima fonte de investimento para um retorno financeiro considerado rápido. Países europeus, como a França e Inglaterra, exportam a madeira mogno africano do Brasil, ou seja, o mercado dessa madeira nobre é tanto nacional quanto internacional. 

É fato que o cultivo de uma madeira tão nobre quanto a madeira mogno africano só traz vantagens para seus investidores. Além do curto prazo de crescimento, alta rentabilidade, utilização e reutilização da madeira mogno africano em móveis, peças de carpintaria, construções navais, a madeira mogno africano está sendo reconhecida internacionalmente como uma madeira nobre e versátil. 

Para mais informações sobre a madeira mogno africano e consultoria de plantio, conheça o Grupo Selva Florestal, experiente no mercado de reflorestamento, recuperação de áreas degradadas, produção de mudas e comercialização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *