MOGNO AFRICANO – COMO CONHECI A 15 ANOS ATRÁS

Ao longo deste texto vou falar sobre a minha historia com o mogno africano.

Nas próximas linhas eu vou te explicar como eu entrei para esse mundo florestal.

Para ter acesso a tudo isso, é só continuar lendo.

Inclusive, tudo o que eu vou falar aqui está gravado vídeo abaixo. Caso prefira, você pode assisti-lo:

Sou proprietário da selva florestal, uma empresa de reflorestamento aqui no norte de Goiás em Porangatu.

Eu tenho uma paixão muito grande por reflorestamento, por plantio de árvores e a primeira árvore que eu plantei deve ter uns 20 anos eu tinha uns 22, 23 anos, foi uma muda Teca, plantei ela bem perto da casa aqui, vi ela crescer, se desenvolver e desde então, nunca mais parei de plantar.

Nós tínhamos uma empresa que chamava pecmap, trabalhava com georreferenciamento, mapeamento, consultoria, pastejo rotacionado, e assim, vimos uma necessidade muito grande na época.

Os clientes nossos tinha esse necessidade de recuperar algumas áreas de nascente das suas propriedades, e como a empresa situava aqui no norte de Goiás, longe dos grandes centros resolvemos montar um pequeno viveiro aqui na minha fazenda.

E começamos a produzir mudas nativas, fomos ampliando, fui aprendendo a manejar, a cultivar mais espécies, coletar sementes e essa paixão foi aumentando cada vez mais e hoje temos uma empresa consolidada no mercado florestal no Brasil.

E a minha história especifica com o mogno tem uns 10 anos, quando eu ganhei umas sementes de khaya senegalensis de um cliente nosso, foi pouca quantidade ai estudei um pouco mais  e depois comprei mais sementes para fazer mais mudas.

E com essas mudas plantei no quintal de casa na fazenda, vim estudando, vi que na literatura nacional pouco se sabia da espécie, erramos muito até domesticar a espécie aqui na minha região.

Aqui nesse plantio tem algumas árvores que eu nunca podei, outras deixei o cupim atacar elas e está até hoje nela e o que deu para mim detectar com esses plantios é que a espécie no caso do khaya senegalensis deu muito certo aqui na região.

A minha região chove no tempo determinado os  1.500 mm em média, e vem abaixando cada vez mais, como eu tenho um acompanhamento de 15 anos de todas as chuvas que cai aqui, eu vejo que está diminuindo, a chuva está se concentrando cada vez mais, mas isso é os efeitos climáticos.

As espécies mais plantada é o khaya grandifoliola, khaya senegalensis, khaya ivorensis e um pouco khaya antotheca, teve uma ocasião que muitas pessoas plantaram o khaya grandifoliolla achando que era o khaya ivorensis, infelizmente teve esse erro taxonômico lá atrás, mas já foi corrigido.

Eu até participei do curso de identificação das khayas spp. com o Dr. Gael que é um dos especialistas de mogno africano mais renomado no mundo.

Voltando um pouco sobre minha história, venho trabalhando com o mogno africano, incentivando as pessoas a plantar, ter a sua aposentadoria verde, garantir o seu futuro, garantir o futuro dos seus filhos, eu mesmo, o primeiro filho meu que nasceu eu plantei 1.500 árvores para ele, já tem 7 anos.

Minha filha que nasceu, plantei 1.500 árvores para ela também, assim é uma forma de eu poder garantir o futuro deles, e como o corte aproximado é de 18 anos, quando eles chegarem a 18 anos eles vão poder estudar onde quiserem, passear, viajar e ter um capital para começar a sua vida.

Muitos me falam mas Rodrigo mogno africano é 18 anos, como a gente faz é muito tempo, eu particularmente eu não acho muito tempo, pra mim 18 anos voa.

Tem um caso que deve ter uns 6 anos, é um cliente nosso que estava plantando eucalipto e nós estava fornecendo as mudas de eucalipto para ele, e eu tive na propriedade dele e tentei convencer ele a plantar o mogno africano, e ele com mil resistência.

É um senhor de 82 anos, e eu falei assim, vamos fazer o seguinte vou trazer 1000 mudas aqui pra fazenda, nós vamos plantar elas e daqui 1 ano, você ver que valeu a pena plantar você me paga.

Um ano após ele me falou Rodrigo eu estou apaixonado no mogno africano, hoje toda a sua propriedade está com o mogno africano, ele tem o khaya senegalensis e o Khaya grandifoliola plantado, ele faz sistema silvipastoril, integração lavou-floresta.

E o que eu quero fazer é incentivar as pessoas começar, se você começar a plantar 100 mudas por ano, você já consegue ter uma rentabilidade no corte com 18 anos, é incentivar as pessoas garantir o seu futuro, aos pais garantir o futuro dos filhos.

Se você quiser saber mais sobre o mundo do mogno africano, eu te convido a participar do meu canal do Telegram, Mogno Raiz.

Basta baixar o aplicativo Telegram e acessar o canal por meio do link: https://t.me/mognoraiz

Sobre o autor | Website

Engenheiro Florestal graduado pela Universidade Federal do Tocantins, com ênfase em silvicultura e nutrição de plantas.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!