Conheça práticas de recuperação para solo degradado

Ter em grande quantidade um solo de qualidade, com altos valores nutritivos e cultiváveis, é um ponto muito importante para um país que depende tanto do agronegócio como o nosso. Porém, essa nem sempre é a realidade dos agricultores brasileiros, que podem ter a sua produção afetada pela degradação dos diferentes tipos de solos que existem no país. Sendo assim, conheça os principais causadores e como fazer a recuperação do solo da maneira mais adequada e efetiva!

O que pode ser feito para recuperar áreas com solo degradado?

Os danos causados no solo usado de maneira indevida são diversos e motivos para muita preocupação e prejuízo dos agricultores que dependem do solo para fazerem o seu dinheiro. Porém, existem diversas práticas que podem ser seguidas para corrigir e evitar problemas como a desertificação, a erosão, a salinização do solo, entre tantos outros que acometem as regiões de plantio. Portanto, saiba os melhores métodos para realizar a recuperação do solo:

Rotação de Culturas

Se você utilizar sempre uma mesma espécie vegetal em um determinado espaço de solo, rapidamente ele estará desgastado e o solo cada vez mais pobre em nutrientes, podendo acarretar até mesmo na sua compactação.

Por isso, a rotação de culturas consiste em plantar diferentes espécies de vegetais diferentes simultaneamente, evitando o esgotamento de nutrientes do solo.

Isso contribui com a sua fertilidade por conta da herança biológica deixada por cada cultura, promove a aeração do solo, pelos canais diferentes formados pelas raízes das plantas de espécies distintas e ainda realiza um maior controle de pragas e doenças que podem acometer as plantações. Tudo isso faz com que a técnica seja eficiente na recuperação do solo.

Recuperação de pastagens

Um bom meio de fazer a recuperação do solo é realizar a pastagem de maneira planejada, protegendo o solo da erosão. Utilizar de um pastoreio rotativo e adubar a região com frequência pode aumentar a área de cobertura pelos vegetais, protegendo o terreno da ação da erosão e ainda servindo de alimento para o gado que estiver sendo pastoreado sobre aquele solo.

Cordões de Vegetação

Esta técnica é muito comum e eficiente na recuperação do solo em áreas mais íngremes, reduzindo diretamente o impacto da erosão no local. A criação dos cordões consiste em plantar barreiras naturais de plantas perenes em volta da área de plantação, repreendendo sedimentos que se acumulam com as chuvas, protegendo o terreno usado para a agricultura. Algumas espécies de capim e cana-de-açúcar são algumas das utilizadas com esse intuito.

Plantio de Leguminosas

Sendo muito utilizado na rotação de culturas, o plantio de leguminosas pode aumentar a quantidade de nitrogênio no solo e ainda devolver matéria orgânica para o terreno, sendo um efetivo e indicado método para auxiliar na recuperação do solo.

Quais são as práticas de recuperação de áreas degradadas?

Agora, veja algumas práticas de recuperação de áreas degradadas:

Manejo Integrado de Pragas

Nem todos os problemas que afetam as plantações e degradam o solo são totalmente culpa dos seres humanos. As pragas são um problema desde o surgimento da agricultura, e fazer um controle da maneira adequada pode ser um bom caminho para realizar a recuperação do solo. 

Utilizando meios naturais como inserir insetos predadores, fazer a poda das possíveis áreas afetadas pela ação das pragas e uma adubação equilibrada, podem ajudar a preservar a sua plantação. Adotando esses métodos, você vai diminuir a aplicação de defensivos agrícolas, os quais podem desencadear não apenas em pragas mais resistentes, como também tem grande chance de contaminar o solo e os produtos sob aquele solo em questão.

Reflorestamento e Florestamento

Nos casos de solos que não possuem boa fertilidade e não são ideais para servirem na agricultura, fazer o plantio ou o replantio de árvores pode ser um ótimo caminho para evitar a erosão dos mesmos. Sendo assim, aquele solo que não seria capaz de produzir na agricultura, ganhará valor na produção de outras importantes matérias primas como carvão, lenha, madeira, celulose para a produção de papel, entre tantas outras utilidades.

Descarte de embalagens de maneira segura

Grandes áreas de terra demandam uma grande quantidade de defensivos agrícolas, e os mesmos trazem consigo muitas e muitas embalagens, que se não forem higienizadas e descartadas corretamente, podem degradar o solo, poluir rios, afetar a fauna local, entre muitas outras consequências.

Portanto, lavar as embalagens e descartar no local correto é um grande meio de recuperação do solo, antes mesmo dele ser afetado pelo descaso do ser humano.

Como evitar a degradação do solo?

Para os mais diferentes tipos de solos e elementos agrícolas produzidos, também existem diversos problemas diferentes que podem causar dor de cabeça no agricultor que não cuida do seu solo da maneira adequada. Confira as formas mais comuns de degradação que afetam as plantações e aprenda o que pode ser evitado!

Desertificação

No processo de desertificação, o solo se esgota de seus nutrientes. Essa degradação é mais comum em regiões mais secas, sendo a falta de chuvas o seu principal causador natural. 

O nome vem da sua aparência “sem vida”, assim como em um deserto, mas a mesma não pode ser considerada assim. 

Algumas ações do homem estão entre os responsáveis pela desertificação de um solo, entre elas, as queimadas, o desmatamento e o uso intensivo e temerário daquele espaço de solo em questão para agricultura e pecuária.

Arenização

Já a arenização é um processo que afeta as áreas mais úmidas e de grande incidência de chuvas, formando bancos de areia em solos já tradicionalmente encharcados.

O homem acelera este processo desmatando a vegetação que protege o solo das chuvas, o que faz com que o terreno se solte e lave seus nutrientes, sendo ainda mais intensificado pela prática da agricultura e da pecuária no Brasil.

Erosão

Talvez o mais conhecido seja um dos mais preocupantes. A erosão é um processo que ocorre naturalmente, porém a ação do homem pode acelerar esse processo e causar danos gravíssimos ao solo.

Os processos erosivos afetam o formato do relevo, abrindo crateras, e ainda retiram nutrientes do solo. Além de afetar plantações, a erosão intensificada é a causadora de eventos como desabamentos de terra, quando o solo é usado de maneira indevida e acaba cedendo.

Salinização

O processo de salinização é quase autoexplicativo, e é a forma de degradação do solo que aumenta a concentração de sais minerais no solo, afetando diretamente a produtividade da região. Utilizar água com alto índice de sais pode ser um dos principais causadores da salinização.

Poluição e Contaminação

A poluição e a contaminação alteram a composição química do solo, o que na maioria dos casos, o torna infértil e improdutivo. 

O uso em larga escala de agrotóxicos e fertilizantes na agricultura e a contaminação em áreas de descaso do ser humano, como lixões e aterros sanitários, são os principais causadores para a contaminação não apenas das terras, mas também dos lençóis freáticos e da vegetação, afetando ecossistemas completos e desbalanceado a natureza nas mais diversas vertentes que a compõem.

Por fim, até aqui você aprendeu sobre a degradação de solos, conheceu os diferentes tipos e ainda descobriu formas de fazer a recuperação do solo. Continue acompanhando o Grupo Selva Florestal para mais conteúdos como esse!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.