Conheça algumas curiosidades sobre o pau-brasil e o mogno africano

Continue lendo esse artigo, basta arrastar a página para baixo

Conheça algumas curiosidades sobre o pau-brasil e o mogno africano

Se o nosso país tem esse nome de Brasil é graças a uma árvore. Já tivemos alguns nomes diferentes antes da alcunha que temos hoje, já fomos pindorama, Ilha de Vera Cruz, Terra de Santa Fé e, por fim, Brasil. Esse título veio da época do nosso “descobrimento” no século XVI, quando a principal riqueza que os portugueses extraíam daqui era uma árvore grande e que tinha uma coloração vermelha por dentro: o Pau-Brasil.

O nosso Pau-Brasil foi brilhar na Europa servindo de móvel, madeira de instrumentos musicais e uma seiva extraída do interior do tronco era usada como corante para as roupas vermelhas. A extração do Pau-Brasil era tão grande na época que mesmo no século XVI houve a preocupação com a preservação da madeira.

O Pau-Brasil foi considerado uma madeira de Lei, tendo sua derrubada autorizada somente com autorização da Coroa Portuguesa. No entanto, mesmo com essa medida, o Pau-Brasil foi muito explorado e entrou em perigo de extinção. A grande preocupação com o Pau-Brasil veio no século XX, quando a árvore foi abraçada como um símbolo do nosso país.

Assim como o Pau- Brasil, o Mogno Brasileiro sofreu muito com a extração e hoje corre risco de extinção. Adiante, saiba mais sobre as mudas mogno africano também. | Foto: AdobeStock

No início do século XX, a comunidade artística estava sendo influenciada pelas vanguardas modernistas, era época do modernismo e foi justamente aí que o Pau-Brasil foi lembrado. O poeta Oswald de Andrade criou o Manifesto Pau-Brasil, que defendia, entre muitas outras coisas, que a poesia brasileira fosse exportada, assim como o Pau -Brasil fora no século XVI. O Manifesto Pau- Brasil foi lançado na primeira fase do Modernismo, a chamada fase Heroica, que abordava o patriotismo pelo país.

O Pau-Brasil possui uma cor avermelhada. | Foto: Adobe Stock.

O Pau-Brasil foi considerado uma madeira de Lei, tendo sua derrubada autorizada somente com autorização da Coroa Portuguesa. No entanto, mesmo com essa medida, o Pau-Brasil foi muito explorado e entrou em perigo de extinção. A grande preocupação com o Pau-Brasil veio no século XX, quando a árvore foi abraçada como um símbolo do nosso país.

No início do século XX, a comunidade artística estava sendo influenciada pelas vanguardas modernistas, era época do modernismo e foi justamente aí que o Pau-Brasil foi lembrado. O poeta Oswald de Andrade criou o Manifesto Pau-Brasil, que defendia, entre muitas outras coisas, que a poesia brasileira fosse exportada, assim como o Pau -Brasil fora no século XVI. O Manifesto Pau-Brasil foi lançado na primeira fase do Modernismo, a chamada fase Heroica, que abordava o patriotismo pelo país.

Agora, vamos falar um pouco mais da árvore símbolo do nosso país. O Pau-Brasil é uma árvore da Mata Atlântica, um bioma que sofreu muito com o desmatamento. O Pau-Brasil era encontrado em toda a costa desde o Rio Grande do Norte, até o Rio de Janeiro. Além de Pau-Brasil, a árvore tem outros nomes sendo conhecida por: ibirapitanga, paubrasilia, orabutã, brasileto, ibirapiranga, ibirapita, muirapiranga, pau-rosado, pau-de-pernambuco.  

Há registros que o Pau-Brasil chegava a 30 metros de altura, mas as poucas árvores de Pau-Brasil que sobraram têm entre 8 a 12 metros de altura. O tronco tem entre 40 a 70 centímetros de espessura e possui uma camada de casca escamosa e por dentro uma coloração avermelhada. As flores do Pau-Brasil têm uma cor amarelada.

Tipos de Pau-Brasil

Antes de 2016, o Pau-Brasil fazia parte de um outro gênero, o Caesalpinia, que incluía o Pau Ferro, mas, após pesquisadores do Brasil, Canadá, Suíça e Reino Unido realizarem análises filogenéticas com o DNA de várias espécies do grupo, constaram que o Pau-Brasil era tão diferente dos outro que poderia ser classificado como um gênero próprio. Então, o Pau-Brasil foi batizado com o nome científico de Paubrasilia echinata

Iremos explicar mais a fundo: o Pau-Brasil é uma espécie nativa do Brasil, encontrada principalmente nas regiões litorâneas da Bahia até o Rio de Janeiro. A árvore pode chegar a até 30 metros de altura e tem uma grande resistência, pela madeira ser densa e fibrosa. Mas o que muita gente não sabe é que existem duas variedades principais de Pau-Brasil – o Pau-Brasil Legítimo e o Pau-Brasil Falso.

O Pau-Brasil Legítimo, que também leva o nome de Pau-Brasil Vermelho, é a variedade mais comum e valorizada no mercado. Ele tem uma cor avermelhada bem intensa e é bastante utilizado na produção de instrumentos musicais, móveis, artesanatos e até mesmo na fabricação de tintas. Já o Pau-Brasil Falso, também chamado de Pau-Brasil Rosa, tem uma coloração mais clara, com tons de rosa e amarelo, e é menos valorizado no mercado.

Além dessas duas variedades principais, existem também outras subespécies de Pau-Brasil, como o Pau-Brasil Anão e o Pau-Brasil do Cerrado. Cada uma delas tem suas características próprias e pode ser utilizada de diferentes maneiras, dependendo da finalidade.

Na Selva Florestal, nós oferecemos mudas e sementes de diferentes variedades de Mogno Africano, que tem uma qualidade tão boa quanto o Pau-Brasil, para atender às demandas dos nossos clientes. E nossa equipe de especialistas está sempre pronta para ajudar na escolha da melhor opção, levando em consideração as necessidades e objetivos de cada projeto. 

O Pau-Brasil pode ser usado na fabricação de móveis. Foto: Adobe Stock.

Usos do Pau-Brasil

Como falado antes, o Pau-Brasil tem vários usos graças à madeira pesada, dura e compacta e também resistente a fungos. Os principais usos do Pau-Brasil eram na construção civil, naval e fabricação de móveis, além de instrumentos como o violino. 

Entretanto, desde o início dos anos 2000, o Pau-Brasil está em risco de extinção e a extração do Pau-Brasil para fins comerciais está proibida. Sendo somente permitida para a fabricação de arcos de violinos. Mas existem algumas árvores que podem substituir o Pau-Brasil. Essas árvores que podem substituir o Pau-Brasil são: Jacarandá, Jatobá, Cedro Rosa, Angico, Ipê, Guanandi, Pau Ferro e Peroba Rosa. Existe também uma outra opção, o Mogno Africano.

Uma das principais aplicações do Pau-Brasil anteriormente era na produção de móveis e objetos decorativos. Devido à sua coloração avermelhada intensa e à sua alta resistência, a madeira dessa árvore é muito utilizada na fabricação de mesas, cadeiras, estantes e até mesmo em obras de arte. Além disso, a madeira do Pau-Brasil sempre foi muito valorizada na produção de instrumentos musicais de corda, como violões e violinos, devido à sua excelente sonoridade.

Outra aplicação bastante comum do Pau-Brasil era na produção de tintas. A resina dessa árvore serve para a fabricação de corantes e pigmentos naturais, que são muito úteis na indústria de tintas e vernizes. E não para por aí! O Pau-Brasil também já foi utilizado na fabricação de cosméticos, com sua cor contribuindo na confecção de maquiagens.

Mas não é só isso! O Pau-Brasil também tinha uso na área de paisagismo e jardinagem. Devido à sua beleza e resistência, a árvore foi muito utilizada na ornamentação de parques e jardins, trazendo um toque de elegância e sofisticação para o ambiente.

Na Selva Florestal, nós oferecemos mudas e sementes de Pau-Brasil para quem quiser cultivar essa bela árvore histórica do nosso país. E nossa equipe de especialistas está sempre pronta para ajudar a escolher a melhor opção, de acordo com as necessidades e objetivos de cada projeto.

Como era a exploração do Pau-Brasil

No início da colonização, a extração do Pau-Brasil era feita de forma predatória e desorganizada. Os portugueses cortavam as árvores indiscriminadamente, sem se preocupar com a preservação da espécie ou com o meio ambiente.

Com o tempo, foram estabelecidas algumas regras para a exploração do Pau-Brasil, como a proibição de cortar árvores com diâmetro inferior a 50 centímetros e a obrigatoriedade de plantar novas mudas para cada árvore cortada. No entanto, essas regras eram frequentemente ignoradas pelos exploradores, que continuavam a devastar as florestas de Pau-Brasil.

Além disso, a exploração do Pau-Brasil era uma atividade muito perigosa e insalubre para os trabalhadores envolvidos. Eles tinham que enfrentar longas jornadas de trabalho, sob condições extremas de calor e umidade, além de lidar com animais peçonhentos e doenças tropicais.

Com o passar dos anos, a exploração do Pau-Brasil foi perdendo importância econômica, devido à diminuição das reservas naturais da espécie e ao surgimento de outras atividades econômicas no país. Hoje em dia, a extração do Pau-Brasil é proibida por lei, e a espécie é protegida como patrimônio natural brasileiro.

Na Selva Florestal, nós acreditamos na importância da preservação das florestas e na utilização sustentável dos recursos naturais. Por isso, oferecemos consultoria para plantio de árvores, garantindo que nossos clientes possam investir em projetos ambientalmente responsáveis e economicamente viáveis. 

Árvore Pau-Brasil. | Foto: Adobe Stock.

Você sabia que o Mogno Africano pode ser usado do mesmo jeito que o Pau-Brasil?

Como o Pau-Brasil está em risco de extinção, outras madeiras começaram a ser usadas para as mesmas funções. Uma delas foi o Mogno Brasileiro, mas, assim como a árvore que deu nome ao nosso país, o Pau-Brasil, o Mogno também corre risco de extinção, e restam poucos exemplares disponíveis, a maioria está localizada em áreas de difícil acesso na Amazônia. Além do corte predatório, o Mogno Brasileiro sofre com uma praga, é uma larva de mariposa que fura o tronco e dificulta o crescimento da árvore.

Eis que surge o parente Africano do nosso Mogno Brasileiro. Ele chegou por aqui na década de 70, e ficou mais popular nos anos seguintes e hoje é considerado até uma forma de investimento pela alta procura pela madeira e o preço no mercado madeireiro. Trata-se de um investimento para longo prazo já que o corte da madeira se dá entre o 13º e o 15º ano da árvore. Mas a opção pode ser uma boa, estima-se que, no final do ciclo, a receita bruta de se plantar 1 hectare de mudas de Mogno Africano seja de até 500 mil reais.

O mogno africano é uma madeira nobre muito versátil, sendo valorizada por sua ótima qualidade. | Foto: Grupo Selva Florestal.

Existem três principais espécies do Mogno Africano, todas do mesmo gênero (que é o primeiro nome que aparece no nome científico, o segundo é o nome da espécie), Khaya. Entretanto, a mais plantada por aqui é a grandifoliola, a senegalensis, anthoteca e a ivorensis está começando alguns plantios.

A região de onde a K. grandifoliola é o Mali, Senegal, norte de Camarões, Uganda e Sudão, todos países do continente africano. Como essa é a espécie mais encontrada no Brasil, tudo que você vai ler sobre o mogno afrincano será sobre essa espécie. 

O Mogno Africano pode chegar a 50 metros de altura, um tronco com coloração marrom avermelhada e cascas rugosas. Essa árvore tem um crescimento melhor em solos bem estruturados, precisando de Sol, água e nutrientes obtidos pelo solo. E aqui no Brasil, ela se adaptou bem às condições do nosso país, e está presente em boa parte do território nacional.

E por ser mais resistente à praga que atinge o Mogno Brasileiro, a broca do Mogno, o exemplar Africano se tornou uma opção muito boa para várias indústrias, como a da construção civil a da construção naval, a de instrumentos musicais (é possível encontrar não somente violinos, mas também violões e guitarras feitos com esse tipo de madeira, inclusive instrumentos de alta performance e com um custo bem salgado). Outro setor da economia que usa muito o Mogno Africano, e usava muito o Pau-Brasil, é a moveleira, principalmente da América do Norte e Europa atualmente.

Khaya senegalensis um tipo de mogno africano. | Foto: Adobe Stock.

Quais as espécies de Mogno Africano

Existem diversas espécies de Mogno Africano, cada uma com características únicas que as tornam ideais para diferentes tipos de projetos. A Khaya ivorensis, por exemplo, é uma das espécies mais populares e amplamente utilizadas na fabricação de móveis, portas, janelas e outros produtos de madeira. Já a Khaya senegalensis é conhecida por sua resistência a pragas e doenças, sendo bastante utilizada em projetos de reflorestamento.

Outra espécie de Mogno Africano bastante valorizada é a Khaya anthotheca, também conhecida como Mogno-do-cáucaso. Essa árvore é considerada uma das mais belas do gênero Khaya, devido à sua copa larga e densa, e é muito utilizada na fabricação de móveis de luxo, revestimentos e pisos.

Além dessas, existem ainda outras espécies de Mogno Africano, como a Khaya grandifoliola e a Khaya nyasica, cada uma com suas características específicas e aplicações.

O mogno africano. | Foto: Adobe Stock

Na Selva Florestal, nós oferecemos mudas e sementes de Mogno Africano de diferentes espécies, garantindo que nossos clientes tenham acesso à melhor qualidade de madeira para seus projetos. E nossa equipe de especialistas está sempre à disposição para orientar na escolha da espécie mais adequada para cada tipo de projeto.

E aí, já conhecia as diferentes espécies de Mogno Africano e do Pau-Brasil? Se tiver alguma dúvida ou quiser compartilhar alguma experiência, é só deixar nos comentários que iremos responder.

Matérias relacionadas

Acompanhe todas as máterias

Sustentabilidade Corporativa com Mogno Africano: Cases de Sucesso

2024-05-21 11:00:00

Crédito de Carbono e a Sua Importância Para o Futuro

2024-05-18 11:00:00

Gestão Ambiental: Descubra O Que é e qual a sua Importância

2024-05-14 11:00:00

Sustentabilidade corporativa e mogno africano: Estratégias para gestão ambiental efetiva

2024-05-11 07:25:00

Mogno africano e a eficiência da gestão ambiental: Práticas para redução de carbono

2024-05-07 07:25:00

Gestão Ambiental: O Papel do Mogno Africano na Sustentabilidade

2024-05-04 07:25:00

Ultimas notícias da Selva

Especialistas em Mogno Africano

Sustentabilidade Corporativa com Mogno Africano: Cases de Sucesso

2024-05-21 11:00:00

Crédito de Carbono e a Sua Importância Para o Futuro

2024-05-18 11:00:00

Gestão Ambiental: Descubra O Que é e qual a sua Importância

2024-05-14 11:00:00

Sustentabilidade corporativa e mogno africano: Estratégias para gestão ambiental efetiva

2024-05-11 07:25:00

Mogno africano e a eficiência da gestão ambiental: Práticas para redução de carbono

2024-05-07 07:25:00

Gestão Ambiental: O Papel do Mogno Africano na Sustentabilidade

2024-05-04 07:25:00