Mogno Africano em Sistemas ILPF

Os plantios florestais no sistema de integração são Pecuária-Floresta ou silvipastoril, Lavoura-Floresta ou silviagrícola e Lavoura-Pecuária-Floresta ou Agrossilvipastoril, vem se destacando devido aos produtores observarem a qualidade e o bem estar para os animais que as florestas produzem. Desta forma, os produtores rurais estão começando a utilizar a cultura das Khayas spp. para compor a espécie florestal no lugar que antes era cultivado o Eucalipto.

Com isso, a vários arranjos são utilizados para arranjar esses sistemas. Lembrando que, pra definir o espaçamento deve levar em conta o tamanho dos maquinários, posição Leste-oeste, o relevo e a finalidade do projeto.

Alguns aspectos que levaram produtores a tomar a decisão de utilizarem o mogno africano:

Rápido crescimento em alguns sítios;

Resistência a pragas e doenças;

Comercialização da madeira;

Preço do m³;

Alguns benefícios desses sistemas no aspecto ambiental:

Aumenta a ciclagem de nutrientes;

Diversificação da biodiversidade;

Maior captação de metano;

Melhora a qualidade da água;

Menos uso de herbicidas;

Aplicação desde a pequena até a grande propriedade;

Reduz os riscos de erosão;

Promove maior eficiência nos usos dos insumos;

Melhoria do solo;

Alguns benefícios desses sistemas no aspecto econômico:

Aumento da produção de carne a menor custo;

Diversifica a renda;

Tempo de engorda do gado;

Aumento de produtividade e qualidade do leite;

Otimização da terra;

Alguns benefícios desses sistemas no aspecto social:

Fixação das pessoas no campo;

Qualificação profissional das comunidades rurais;

Melhoria da imagem do produtor e de seu empreendimento.

2 respostas

  1. Gostaria de saber com quem falo sobre os plantios de Goiás.Pois estamos pesando plantar no centro oeste goiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *