Saiba como o mercado de plantio e comercialização de mogno se saiu durante a pandemia

Ao longo da história das civilizações, a madeira foi um dos recursos naturais mais valorizados. Esta commodity sempre esteve como uma das mais comercializadas em todo o planeta. E esse padrão não poderia ser diferente com o mogno africano, uma espécie em ascensão. 

Esse tipo de madeira sempre foi muito bem visto por vendedores e consumidores, pela sua notável beleza e cor, mas também por sua versatilidade, já que pode ser usada em vários contextos arquitetônicos distintos. Todavia, no continente africano, que é o habitat natural desse mogno, sua presença vem ficando cada vez mais escassa. Inclusive, a tendência é que por lá, o mogno africano passe a ser protegido pelos órgãos ambientais.

Assim, o plantio do mogno vem sendo visto como uma saída por alguns agricultores e investidores. Visto que o clima e o solo de algumas regiões do Brasil são bastante propícias para o mogno. Algo que tem atraído cada vez mais gente. Portanto, você vai entender o que é o mogno africano e como esse mercado  cresceu no período de pandemia.

Plantio de mogno: entenda o crescimento do mercado de mogno africano. | Foto: Pexels.

O que é mogno africano

Primeiramente, cabe explicar melhor sobre o que é o mogno africano. Essa madeira é uma espécie muito nobre, tendo um parentesco com o mogno brasileiro. A saber, essa árvore nativa do Brasil (mogno brasileiro) tem plantio e corte limitado, podendo ser feito por empresas que tenham certificado de manejo. 

O mogno africano, por outro lado, não passa por essas questões de restrição. Além de poder suprir com bastante qualidade a demanda de madeira, principalmente de setores como a construção civil.

O cultivo

Desde já, vale ressaltar que mesmo sendo um cultivo que leva um tempo considerável, cerca de 20 anos, a rentabilidade do mogno faz com que esse tempo valha a pena. Isto pois o investimento em mogno africano é algo bastante seguro.

Alguns agricultores em lugares como o Cerrado de Minas Gerais e a Savana de Rondônia já trabalham com essa planta. Isto pois os climas nesses ambientes se assemelham muito ao que se encontra na África.

Veja como o mercado de mogno se desenvolveu durante o período pandémico

Como será que esse mercado vai se desenvolver? A verdade é que apesar do contexto de pandemia da Covid-19, o mercado de exportação de madeira nunca esteve tão forte quanto em 2021. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, apenas entre abril e maio deste ano, foram enviadas 570 mil toneladas de tora para o mercado externo.

Já nos primeiros cinco meses de 2021, cerca de  um milhão de toneladas foram mandadas ao mercado externo. A saber, isto chega a ultrapassar o dobro do volume de exportações de madeira se comparado ao mesmo período do ano passado. Desse modo, o faturamento do setor subiu para 84 milhões de dólares de janeiro até maio. Isto chega a ser 80% a mais que a receita do mesmo intervalo de tempo em 2020.

Ao contrário de outros setores, o madeireiro pode ter sido aquecido pelo contexto pandêmico. O fato das pessoas precisarem trabalhar de casa gerou reformas estruturais ou até a demanda por casas novas. O setor imobiliário teve grandes ganhos nos Estados Unidos durante esse período. Neste caso, espécies como o mogno africano são ótimas opções no mercado.

Além disso, um estudo feito pelo Serviço Florestal Brasileiro demonstrou que haverá uma redução de quase dois terços na oferta de madeira em território nacional.

Estimativas do mogno africano para o próximo período

Ao mesmo tempo que estima-se que a demanda deve quadruplicar no mesmo período. Chegando a até 21 milhões de m3 por ano. A partir daí entra a mais básica das leis sobre economia, a da oferta e demanda. Se a demanda é alta e a oferta é baixa, o preço do que é demandado sobe consideravelmente.

Falando em preço, isso é algo que também pesa a favor do mogno africano. Assim como várias outras madeiras  serradas têm sido vendidas por preços inflados ao mercado internacional. Como um exemplo, o preço de uma tora de uma espécie deste calibre pode chegar a 350 dólares no mercado  internacional.

Como todos os gráficos econômicos demonstram o valor em conjunto de todas as madeiras serradas, não há como saber o valor exato do mogno africano. Mas especialistas apontam que por ser de uma linhagem nobre, esta deve ter um custo individual mais alto que as demais.

Portanto, é possível afirmar que a conjuntura do mercado internacional do setor madeireiro é excelente para o que é plantado no Brasil. Assim, o investimento em mogno apresenta excelentes perspectivas no longo prazo.

Ainda mais, quem firma contratos de exportação de madeira sempre olha para continuidade e volume, além de qualidade obviamente. Não adianta de nada uma madeira de excelência que não consegue manter uma sequência de produção em níveis semelhantes. Por isso, quanto mais produtores brasileiros confiando na rentabilidade do mogno melhor. 

Por fim, este cenário parece privilegiar quem está disposto a investir no mogno africano. Já que essa espécie supre a demanda por madeira nobre e de qualidade, e não é alvo de restrições por parte de fiscalizadores ambientais como o que ocorre com o mogno brasileiro.

Entretanto, não é apenas o investimento inicial que precisa ser feito. Se faz necessário acompanhar com atenção o crescimento e desenvolvimento do mogno africano. Se possível até com foco em tecnologia. Produtores que investiram no começo dos anos 2000 já estão podendo extrair e vender. 

A princípio, o preço gira atualmente em torno de 2,6 mil reais por metro cúbico plantado. Porém, se o agricultor resolver esperar a madeira do mogno africano secar, o valor pode triplicar.

Em suma, o mogno africano pode ser um  excelente caminho, não só para sofisticar e trazer novas possibilidades para o setor madeireiro no Brasil, mas também para desafogar um pouco a demanda em cima da floresta amazônica, que vem sendo colocada em xeque devido a extração exacerbada de espécies desse bioma primordial para nosso mundo. Sem dúvidas vale o investimento, ainda mais com a crescente valorização da madeira. Conheça mais sobre esse e outros temas acompanhando a gente! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.