Veja as pragas e doenças que podem prejudicar seu plantio de mogno e aprenda a evitar que aconteça

O agronegócio é um dos mercados que mais movimentam dinheiro no Brasil, seja com o plantio de frutas, verduras, legumes, flores ou árvores. Porém, algo lucrativo pode se tornar um grande prejuízo se a sua plantação for atacada por pragas ou doenças. O mogno é uma das espécies de árvores mais valiosas do país e é a opção de muitos agricultores que buscam fazer um “pé de meia” para o futuro. Por isso, conheça as principais doenças e pragas que afetam as plantações de mogno e saiba como fazer o controle de pragas.

Conheça os insetos e doenças que afetam o mogno e saiba como fazer o controle de pragas e o cultivo adequado. | Foto: Freepik.

Principais insetos e doenças que afetam o mogno

Antes de saber como prevenir e fazer o controle de pragas, é preciso conhecê-las. Não apenas existem diversos insetos que se alimentam e parasitam as plantações de mogno, como também existem diversas doenças que causam muita dor de cabeça e prejuízo para os agricultores que realizam o plantio desta espécie de árvore no Brasil.

Você sabe diferenciar o que são as pragas e o que são as doenças que acometem as plantações de mogno? As pragas são aquelas causadas por insetos como formigas e cupins, enquanto as doenças são aquelas causadas pelos fungos, pelas bactérias e pelos vírus, que podem gerar diferentes danos nas estruturas das árvores, afetando o tronco, as folhas ou raízes. Ou seja: mesmo sem conhecê-las ainda, está bem claro que fazer o controle de pragas e saber como prevenir doenças é fundamental para uma plantação de mogno saudável e lucrativa.

Quais insetos estragam o plantio?

Confira, a seguir, quais os insetos que estragam o plantio:

Formigas Cortadeiras

Esta espécie de formiga é considerada a pior praga florestal, sendo os gêneros ‘saúva’ e ‘quenquéns’, as mais comuns em regiões de plantios agrícolas, incluindo as fazendas de mogno. As formigas cortadeiras atacam florestas de qualquer idade e, ao contrário do que muitos pensam, elas não se alimentam das folhas das árvores.

As formigas utilizam das folhas para cultivar uma espécie de fungo, o qual este sim serve de alimento para os insetos. Sendo assim, as folhas de mogno mais jovens são uma preferência das formigas cortadeiras por terem folhas mais macias do que as de árvores mais velhas. Portanto são uma ameaça desde muito cedo para as plantações de mogno.

Cupins

Como com a grande maioria das espécies de árvores, o mogno também é uma vítima dos ataques de cupins. Estes se alimentam da madeira do troncos das árvores e causam danos às estruturas do mogno, sendo um dos principais problemas para os agricultores que optam pelo plantio da espécie.

Abelhas Urupuás ou Abelhas-Cachorro

As abelhas da espécie urupuás atacam a parte jovem do mogno, por estas terem uma superfície mais facilmente perfurável, que acaba por causar a morte da parte apical da árvore. Como consequência da ação das abelhas urupuás, as folhas começam a cair e o crescimento da árvore é diretamente afetado, causando a atrofia e problemas na brotação, deformando o tronco do mogno ao longo do seu crescimento.

Brocas de Ponteiro

A broca de ponteiro é uma espécie de larva, sendo este o principal causador da broca de pecíolo. A larva ataca as folhas das árvores de mogno e as tornam escuras e debilitadas, causando queimaduras nas bordas das folhas e um aspecto murcho, muito diferente do padrão das vívidas e esverdeadas folhas de mogno.

Mosca Negra do Citros

Esta espécie de mosca ataca diretamente as folhas mais novas das árvores de mogno, sugando a seiva delas, podendo além de tudo transmitir fungos para a planta, o que pode causar a redução do crescimento das plantas jovens e que ainda estão em desenvolvimento, aumentando o espaço de tempo necessário para realizar o corte das árvores.

Broca de Alburno

A larva da broca de alburno perfura o tronco da árvore de mogno e constrói canais dentro da madeira, o que a torna mais frágil e prejudica não apenas a sua resistência a fortes ventos, por exemplo, mas também prejudica a venda futura daquela árvore de mogno afetada pela broca de alburno.

Cochonilhas

Essa espécie de inseto prefere atacar as folhas das árvores, que acabam desencadeando na morte da gema apical e o corrugamento das folhas. 

Psilídeos

Os psilídeos se assemelham com as famosas cigarras, porém em um tamanho menor. Elas podem colaborar com a infecção de fungos por parte das folhas do mogno africano, que resultam tanto no escurecimento das folhas, quanto na queda das mesmas. A ação dos psilídeos pode também resultar no crescimento de galhas nas folhas e ramos mais jovens, o que pode atrasar o crescimento padrão do mogno.

Gafanhotos

Os gafanhotos são um problema mundial para as mais diversas plantações, portanto ter um controle de pragas contra eles é importantíssimo. Eles abrem buracos nas folhas e depositam seus ovos, deixando-as mais fracas e secas, podendo também comprometer o desenvolvimento de maneira regular da planta.

Doenças comuns em árvores de mogno

Saiba quais as doenças que são comuns nesse tipo de árvore:

Mancha Areolada das Folhas

Esta doença causada por uma espécie de fungo é uma das mais comuns, quando estamos falando sobre as árvores de mogno. A doença que deixa as folhas com uma mancha areolada, ataca os folíolos na região apical da árvore e gera o surgimento de lesões que causam uma aparência incomum e desagradável às folhas.

Cancro do Córtex

Também causada por um fungo, o Cancro do Córtex é muito comum nas regiões mais úmidas e quentes, sendo facilmente identificável por causa de sua aparência característica e nada bonita. Podendo se estender por todo o tronco da árvore de mogno, o fungo causa a seca das folhas e seus ramos, apodrece frutos e pode até mesmo ocasionar a morte das plantas, em casos mais agravados da doença.

Podridão Branca

Como as doenças apresentadas anteriormente, a Podridão Branca também é extremamente comum e é causada por fungos. Esta afeta as raízes da árvore de mogno, podendo causar a morte das mesmas e, consequentemente, a da planta por completo. Costuma se desenvolver melhor em regiões alagadiças e de alta umidade.

Rubelose

A rubelose é mais um exemplo de doenças sofridas pelo mogno que são causadas pelos fungos. Neste caso, lesões com uma cor rosada aparecem na árvore, enquanto por baixo delas, surgem rachaduras e sulcos nos galhos de mogno, que adoecem os troncos.

Mancha Alvo

A mancha alvo, como seu próprio nome diz, gera o surgimento de manchas nas folhas do mogno, tendo um aspecto escuro, com as bordas em um tom mais próximo do roxo e o centro mais claro. Assim, como as outras doenças, ela também é causada por fungos.

Como evitar pragas no plantio de mogno?

Exemplos de insetos e doenças que podem atacar e destruir plantações de mogno não faltam, por isso, após conhecer as suas causas e efeitos, é importante estar ciente que muitas delas são evitáveis se for utilizado o procedimento de controle de pragas correto.

No caso das formigas cortadeiras, é preciso ser feito um controle nas fases de pré-corte, pré-plantio e pós-plantio. Aplique isca formicida pelo menos um mês antes do plantio e após o plantio, até 150 dias antes do corte, deve ser feita uma manutenção de maneira anual na floresta de mogno.

Para combater cupins, é recomendado aplicar o pulverizador com uma solução com princípios ativos como tiametoxan, fipronil e imidaclopride. No caso das abelhas urupuás, a pulverização deve ser feita diretamente em suas colmeias, ou até mesmo realizar uma queimada completa na área do plantio, alguns meses antes de iniciar o plantio das mudas.

Em caso de ação das larvas causadoras da broca do ponteiro, retirar as folhas afetadas e queimá-las é uma boa solução nos casos leves, mas se a situação for mais grave, a saída é a aplicação de pesticida fosforado. As Cochonilhas são bastante incômodas, mas conseguem ser combatidas com o uso de emulsificantes, óleos minerais e piretróides.

No caso de ataque dos gafanhotos, é necessário agir logo nos primeiros sinais de presença do inseto na plantação de mogno, cortando e queimando os materiais das plantas que contenham a presença de ovos de gafanhotos.

Pensando nas doenças que atacam o mogno, também existem medidas que podem prevenir que elas se proliferem. No caso da Mancha Areolada, a aplicação de fungicidas a base de pencianol resolvem o problema, enquanto que para combater o Cancro de Córtex, é preciso agir antes mesmo do plantio das mudas, corrigindo o solo e equilibrando a sua acidez, além de fortificando a estrutura da árvore. Caso ela apareça depois da planta ter sido plantada, é possível combater com defensivos agrícolas com cobre na composição ou utilizar hipoclorito de sódio.

Quanto a Podridão Branca, a recomendação é única: evite plantar mogno em regiões muito úmidas e lamacentas, pois assim não ocorrerá o desenvolvimento dos fungos que causam esta doença. Para tratar a rubelose, realiza-se a poda dos ramos danificados pela doença ou retira-se os pedaços da casca afetados e na sequência é aplicado uma mistura de tinta látex, estrubirulina e triazol para selar os danos causados. Aplicação de fungicidas podem ser a solução para combater a Mancha Alvo.

O mogno é muito valioso e atrai a atenção de muitos agricultores no Brasil. Como vimos, existem muitas ameaças à esta árvore, sejam causadas por insetos ou doenças, mas seguindo as dicas para controle de pragas corretas, a sua floresta de mogno poderá crescer e se desenvolver sem maiores problemas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.